Grupo 3 -Etapa Final (Post Líder)

Lucas Inácio de Souza | 13 de Jul. 2016 | Grupo 3

Segue a apresentação da Etapa Final do Projeto de Informatização de Unidade de Informação.

corel-pdf-fusion-icon-logo
VISUALIZAR NO FORMATO PDF
prezi
VISUALIZAR NO FORMATO PREZI

 

 

Grupo 3 – Vitória – Líder Etapa 4


Etapa 4 do Projeto de informatização

 

Serviços Inovadores em Portais WEB


Dois exemplos de serviços/funcionalidades inovadores em Portais na Web


Lorean (http://www.lorean.com.br/)


Conceito: O Lorean é um software de gerenciamento de casas noturnas e bares. Seu site é integrado com o Facebook, e conta com aplicativo para sistemas IOS e Android.

A justificativa de escolha desse site, é a multiplicidade de opções que o mesmo disponibiliza para gerenciamento de uma balada, casa noturna ou bar, e várias de suas funcionalidades podem ser adaptadas para uma Unidade de Informação.

Através de cadastro simples no Site, é possível inserir nome nas listas, controlar o pagamento da comanda (pré e pós-pago), comprar ingressos, fazer “Check-in”, agilidade para entrar e sair através da Biometria, e ainda conta com versão Mobile.

Adaptando para uma U.I. poderia ser utilizado os sistemas de pagamento de multas on-line, agilidade no empréstimo de livros através da Biometria, entre outras.

LOREAN


Museu Virtual de Brasília (http://www.museuvirtualbrasilia.org.br/PT/)


Conceito: No Museu Virtual de Brasília é possível visitar lugares importantes e pontos turísticos de Brasília, através de um Tour Virtual de 360º com interatividade do usuário.

A justificativa de escolha desse site, é a possibilidade do internauta conhecer o lugar sem a necessidade de visita física ao local. Não chega à ser algo inovador, pois algumas bibliotecas já fazem uso dessa tecnologia em seus sites, como por exemplo a Biblioteca da King’s College de Cambridge no Reino Unido.(http://www.kings.cam.ac.uk/library/virtual-tour/)

No Brasil porém, não é comum esse tipo de interação e visita 360º nos sites das Bibliotecas, portanto, seria interessante implementar essa funcionalidade em seu site.

MUSEU BRASÍLIACambridge


Avaliação dos Grupos da Disciplina


  • 10 Atividades individuais (Até 08 jun 2016);
  • 3 postagens de Líder do Grupo;

    1 critério quantitativo;
    Número de Postagens

    4 critérios quanti-quali (subjetivo);
    Criatividade
    Identidade Visual
    Síntese, Clareza e Objetividade
    Apresentação Oral

    Foi levado em consideração Postagens categorizadas (Grupo 1, Grupo 2, etc.). Postagens sem categoria NÃO entraram na contagem.

Grupo 1Grupo 1 - 2


Grupo 2Grupo 2 - 2


Grupo 4 Grupo 4 - 2


Grupo 5 Grupo 5 - 2

Grupo 6 Grupo 6 - 2


Considerações aos Grupos

De maneira geral, todos os grupos e indivíduos tiveram grande evolução nas Atividades e postagens no Blog da Disciplina.

A rotina e prática semanal de mexer nas ferramentas do WordPress, além da compreensão dos temas propostos, foram o viés que motivou grande parte dos alunos a realizar postagens mais sofisticadas, com mais recursos gráficos e visuais e obedecendo os padrões e regras pré-estabelecidas pelo professor.

Grupo 3 – Vitória

Este post se refere à atividade 3 – Etapa 4 – do dia 15 de junho.

FERRAMENTAS COLABORATIVAS

G_fba869a08fac036
Fonte: ATA NEWS, 2015

As ferramentas colaborativas são softwares que auxiliam no desenvolvimento de tarefas realizadas por um grupo, o qual busca, por meio do trabalho coletivo, cumprir um projeto ou um objetivo em comum (PROFESSOR RICARDO, 2012). Estas ferramentas podem auxiliar muito em Unidades de Informação como forma de compartilhamento, um contato maior e mais dinâmico com o usuário,   e principalmente a disseminação da informação, está que é a principal função e papel da classe.

A biblioteca Jurídica é uma Unidade de Informação que pode ser pioneira em utilizar uma destas ferramentas colaborativas: o Fórum de discussões.

forum1
Fonte: RANDOL FOREGLY, 2013

 

(…) o fórum pode ser definido como um espaço de discussões em torno de temas propostos por seus participantes. Neste aspecto, o fórum parece ser o instrumento mais adequado para o aprofundamento reflexivo dos usuários do ambiente mencionado (OLIVEIRA, [20–]). Assim, o fórum pode se tornar um serviço inovador na biblioteca jurídica que utiliza o Sistema Pergamum, pois este não possui nenhum serviço de discussão, como diz Guilhen, Torino e Tavares (2013 p. 1) “O tema inovação não deve ser entendido como novidade e sim uma necessidade para as bibliotecas de instituições públicas (…)” sendo que o fórum não se trata de uma novidade, mas quando aplicada a uma realidade pouco aplicada se torna algo inovador.

forums-buttonEste Fórum servirá para discussões, dúvidas e compartilhamentos entre os usuários, as editoras e os bibliotecários, servindo como canal para opiniões, lincando também redes sociais e videos onde as editoras poderão estar apresentado as novidades da área jurídica

Deste modo a ideia seria  criar um novo ícone no Meu Pargamum para o Fórum, onde para participar desta  ferramenta é necessário que o usuário esteja cadastrado na Unidade de Informação. O usuário poderá entrar em fóruns, neste primeiro momento, com bibliotecário e editora, assistir videos de novidades e se conectar nas redes sociais da Instituição, a pagina proposta ficará como a representada na imagem a seguir:

FONTE: o autor.
FONTE: o autor.

REFERÊNCIAS:

FOREGLY, Randol. Ambiente de aprendizado e tutoria. Curso de Formação em EAD com Ênfase em Tutoria CEDERJ – Tutoria 2013. Disponível em: <http://randolforegly.blogspot.com.br/2013_06_01_archive.html> Acesso em: 22 jun. 2016.

NEWS, Ata. Fórum lança programa para desmistificar 25 crenças sobre redes sociais. 2015 Disponível em: <http://www.atanews.com.br/materias/3-noticias/3470-forum-lanca-programa-para-desmistificar-25-crencas-sobre-redes-sociais/> Acesso em: 22 jun. 2016.

OLIVEIRA, Gerson Pastre de. O fórum em um ambiente virtual de aprendizado colaborativo. [20–] Disponível em: <https://www.researchgate.net/publication/267714580_O_FORUM_EM_UM_AMBIENTE_VIRTUAL_DE_APRENDIZADO_COLABORATIVO&gt; Acesso em: 22 jun. 2016.

RICARDO, Professor. Ferramentas colaborativas. 2012. Disponível em: <http://rialez.blogspot.com.br/2012/03/ferramentas-colaborativas.html&gt; Acesso em: 22 jun. 2016.

 

 

 

Grupo 3 – Luana

Este post refere-se a atividade do dia 15/06/2016.

1- Como integrar ferramentas colaborativas em sistemas já existentes em unidades de informação?

O avanço da tecnologia tem se tornado algo extremamente grandioso, onde podemos perceber que tem contribuído muito para a nossa sociedade em alguns pontos. As ferramentas colaborativas fazem parte deste grande avanço tecnológico e também podem contribuir para os sistemas que já existem em nossas unidades de informação. Porém, ainda é preciso melhorar neste quesito. Vou usar como exemplo o sistema Pérgamum. No final da página poderiam ser inseridos ícones de redes sociais, como Facebook, Twiter, Instagran, YouTube, Chat e etc. Para que desta forma o acesso ao Pérgamum venha tornar-se mais interessante e interativo, permitindo aos usuários interagir com seus amigos e compartilhar documentos que são de interesse comum.

arvore

2- Que tipo de serviços inovadores para unidades de informação podem ser gerados com este tipo de ferramenta?

                Através dessas ferramentas colaborativas inseridas no sistema Pérgamum, a busca pelos dados e informações poderia se tornar bem mais interessante e atrativo. Uma ideia inovadora seria o uso do YouTube como ferramenta colaborativa principal. A cada vez que o usuário pesquisar por determinado assunto, o sistema também poderia sugerir vídeos de apoio (da instituição, educativos), também com a opção de compartilhar, curtir, twitar. O sistema teria um canal no YouTube de apoio, neste canal seriam feitas transmissões falando sobre as novas aquisições da biblioteca, dicas de leitura, contações de história e instruções para utilizar o Pérgamum. É claro, que toda essa mudança teria um valor monetário consideravelmente alto, devido às mudanças que seriam realizadas no Software Pérgamum, mas também haveria um retorno consideravelmente bom, sem contar a satisfação dos seus usuários, pois a facilidade para acessar os materiais seria muito mais eficiente, sem contar que o retorno das pesquisas seriam muito mais abrangentes e diversificado.

youtube

Referências:

Imagem 1: http://arlifrancis.org/blog/wp-content/uploads/2014/12/social-media-tree-Yoel-Ben-Avraham.jpg

Imagem 2: http://s2.glbimg.com/ALfPKGnDD6MAPuX4LF_CKcsn40E=/e.glbimg.com/og/ed/f/original/2015/11/10/youtube.jpg

Grupo 3- Joselaine

Este post é referente á atividade do dia 15 de junho de 2016.

Integração de Ferramentas Colaborativas

Imagem 1: Ferramentas colaborativas

A evolução da tecnologia da informação de certa forma vem atingindo a Ciência da Informação, com isso as bibliotecas estão evoluindo tecnologicamente para atender os usuários, que cada vez estão mais exigentes e os profissionais da informação são de extrema importância para fazer o elo entre os usuários e a tecnologia informacional.

Podemos citar como exemplo, uma Biblioteca que utiliza do Sistema Pergamum, onde poderíamos implementar links que direcionam o usuário para as redes sociais da Biblioteca, como o Facebook (serve como ferramenta de marketing para a divulgação dos serviços da Biblioteca, através dele é possível promover eventos, treinamentos e programas), YouTube (é possível criar canais com canais com temáticas específicas e os usuários podem postar comentários, críticas, sugestões e opiniões), Instagram (é possível o compartilhamento de fotos e vídeos da Unidade de Informação. entre outras ferramentas tecnológicas. Por meio dessas ferramentas,  seria possível não apenas a comunicação e a divulgação, mas também a colaboração, participação e interação, entre Unidade de Informação e Usuário.

Após concluir a etapa de implementar as ferramentas tecnológicas no Sistema Pergamum, é plausível que a Unidade de Informação ofereça serviços inovadores para os usuários. Acredita-se as redes sociais podem contribuir na melhoria da comunicação e serviços das Bibliotecas.

Serviços Inovadores

Imagem 2: Instagram

Exemplo de serviço inovador utilizando o Instagram como ferramenta

           

O Instagram é uma ferramenta que permite o compartilhamento de fotos e vídeos, pode ser utilizado como uma ferramenta que possibilita manter o usuário informado sobre as novas aquisições, lançamentos de obras da Biblioteca. Além de divulgar fotos de treinamentos e palestras. É possível também divulgar imagens da equipe e do perfil da Biblioteca; Compartilhar a história da Biblioteca postando fotos ao longo dos anos e, ainda, incentivar o usuário a comentar complementar o conteúdo postado.

As redes sociais são uma alternativa para que as Unidades de Informação se mantenham atuantes, participativas e colaborativas e com um processo de comunicação ativo com seus usuários.Atuam como um  canal de comunicação entre a Biblioteca e os seus Usuário e vice-versa, Bibliotecas e outras Bibliotecas e entre os próprios usuários entre si.

REFERÊNCIAS:

AGUIAR, Giseli Adornato de. Uso das ferramentas de redes sociais em bibliotecas universitárias: um estudo exploratório na UNESP, UNICAMP e  USP.2012. 184f. Dissertação ( Mestrado em Ciência da Informação)- Escola de Comunicação e Artes, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2012.

Imagem 1: Ferramentas colaborativas. Disponível em <http://www.waoni.net/wp-content/uploads/2014/11/Social-media-management.png&gt;. Acesso em: 17 de jun. de 2016.

Imagem 2: Instagram. Disponível em: <https://lh3.googleusercontent.com/aYbdIM1abwyVSUZLDKoE0CDZGRhlkpsaPOg9tNnBktUQYsXflwknnOn2Ge1Yr7rImGk=w300&gt;. Acesso em: 17 de jun. de 2016.

 

 

Grupo 3 – Lucas

Etapa 4 – Atividade 3 | 15/06/2016 | Lucas Inácio de Souza


Integração de Ferramentas Colaborativas

2

Uma forma de integrar ferramentas colaborativas em sistemas já existentes em unidades de informação, é incorporar ou complementar esse tipo de ferramenta no sistema informatizado que a instituição já utiliza, não causando o impacto negativo que uma instalação de um sistema “à partir do zero” poderia provocar (substituição do software, importação/exportação dos dados, rejeição do usuário com o que é novo e período de adaptação).

Um exemplo poderia ser a aglutinação de links na forma de ícones (que já são convencionais em todo o mundo), logo abaixo da página de pesquisa no Acervo no Sistema Pergamum de uma biblioteca (Imagem 1). Os mesmos direcionariam o usuário para diversas redes sociais da Biblioteca, como Facebook (página institucional da Biblioteca), Twitter (posts de novas aquisições e ações/eventos da Biblioteca), YouTube (vídeos institucionais e tutoriais de como operar uma pesquisa de forma mais eficiente), dentre outras ferramentas que contam com a participação e colaboração do usuário.

Imagem 1: Tela de pesquisa do Sistema Pergamum, em destaque, ícones de links de Redes Sociais da Unidade de Informação.Pergamum Ferramentas IIFonte: composição da imagem feita pelo autor.

Claro que para isso a Biblioteca teria que dispor de um grande valor monetário, afinal seria necessário modificar o Software Pergamum desde a sua programação, até a interface com o usuário, o que provavelmente não sairia barato. Porém o retorno e custo/benefício poderia ser conveniente.


Serviços Inovadores

Com a primeira etapa de incorporação dessas ferramentas no Pergamum concluída, é possível que a Unidade de Informação forneça serviços inovadores para seus usuários. Dentro dessas ferramentas colaborativas, existem inúmeras alternativas e possibilidades de interação do usuário/instituição.

 Exemplo de serviço inovador utilizando o Twitter como ferramenta

Em uma unidade de informação, ao se adquirir novos livros, é realizado a postagem individual dos títulos mais importantes, informando a nova aquisição, e disponibilizando um QR-CODE para que o usuário copie informações e o número de chamada do livro em seu celular, sem a necessidade de copiar os dados em papel.

Acompanhe no Infográfico abaixo.


Infográfico Lucas

Fonte: imagens retiradas de sites gratuitos. Composição do autor.


Na própria postagem, pode haver também a foto da Capa do livro, tornando mais atrativa e visual a postagem. Ainda existe a opção de “Retuitar” a postagem, “Favoritar”, entre outras ferramentas.

Grupo 3 – Luana

Este post refere-se a atividade do dia 08/06/2016.

ATIVIDADE 1:

Como esclarecer os usuários de uma Unidade de Informação sobre tópicos relacionados a Crimes Cibernéticos e Segurança da Informação?

ciberataque

Na era digital é muito importante manter a segurança das instituições, como também dos seus usuários. Mas para que os usuários estejam mais aptos para enfrentar essa situação, por diversas vezes é necessário passar algumas instruções, para que desta forma venha haver uma melhor compreensão dos perigos da Internet, tais como os crimes cibernéticos.

Desta forma, quando o usuário se cadastrar na Unidade de Informação seria bom passar algumas instruções de alerta como, por exemplo: criar senhas mais fortes, sempre evitando colocar datas, nomes e orientar sobre o uso dos computadores. Também seria interessante criar cartilhas e folders contendo informações sobre os crimes cibernéticos e a segurança da informação, colocar cartazes na Unidade de Informação e enviar boletins informativos para o e-mail dos usuários cadastrados.

ATIVIDADE 2:

Escreva alguns parágrafos propondo uma política para uma Unidade de Informação que contenha Controles Físicos e Controles Lógicos para proteger a Informação.

Biometria.jpg

A criptografia e a biometria são muito importantes para manter a segurança da Unidade de Informação, portanto segue alguns Controles Físicos e Controles Lógicos necessários para uma política de segurança em Unidades de Informação:

Controle físico:

  • Câmeras de segurança;
  • Guardas para monitoramento em horários diurno e noturno;
  • Catracas para controle de usuários (internos e externos);
  • Manter materiais de limpeza ou inflamáveis longe;
  • Cuidado com a climatização;
  • Treinamento para os funcionários.

Controle Lógico:

  • Tecnologia inteligente como, por exemplo: cartões magnéticos, biometria (impressões digitais, reconhecimento facial ou por voz);
  • Senhas fortes e seguras;
  • Possuir antivírus em constante atualização;
  • Manutenção e suporte para os equipamentos;
  • Proteger os arquivos restritos;

Referências:

BRASIL. TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO. Boas práticas em segurança da informação. 2. ed. Brasília : TCU, Secretaria de Fiscalização de Tecnologia da Informação, 2007.

Imagem 1: http://www.portalimprensa.com.br/content_file_storage/2015/02/11/ciberataque.jpg

Imagem 2: https://cin5018blog.files.wordpress.com/2016/06/b1cb7-biometria.jpg