Grupo 2 – Emmanuel – Líder etapa 4

Atividade 1 – SERVIÇOS INOVADORES EM PORTAIS NA WEB

sniic

SNIIC – Sistema Nacional de Informações e Indicadores Culturais – Uma plataforma para o século XXI

É uma plataforma do governo, que funcionará como um banco de dados de bens, serviços, infraestrutura, investimentos, produção, acesso, consumo, agentes, programas, instituições e gestão cultural, bem como para dar transparência a coisa pública e estará disponível para toda a sociedade.

Da mesma forma seria utilizado a infraestrutura que a plataforma possui, dentro da unidade de informação, com um olhar educacional e cultural, no nosso caso a Biblioteca Universitária, o usuário iria interagir da mesma forma que a sociedade o faz com o SNIIC.

O usuário teria participação direta na formulação de propostas educacionais/culturais, em um modelo “open data”, utilizando padrões, protocolos de disponibilização abertos e interfaces com as mídias sociais. Ex.: um estudante que também é músico, registra seu perfil nas áreas de conhecimento que atua e quais instrumentos musicais e/ou vocal que tem habilitação, bem como sua predisposição para integrar nos diferentes projetos, quais recursos que possui, disponibilidade de tempo e espaço e, então se formaria um grande banco de dados, em rede, que contribuirá para a produção de espetáculos, gestão e difusão da própria cultural.

Os demais dados que ele informou poderão ser organizados em um formato amigável e estruturado, promovendo a disponibilização inteligente dos dados abertos e estruturados para os mais variados serviços ou projetos. Desta forma poderia ser feito um mapeamento por área de conhecimento, cultural e artística, bem como também o usuário acompanhar de maneira efetiva como são utilizados os recursos da biblioteca e da universidade em geral.

download (1)

OCLC – Online Computer Library Center – Gaimificação na Biblioteca

download

Em relatório emitido pela OCMC,  buscam tentativas de  contextualizar leis de Ranganathan com a sociedade informacional atual, não somente com o aumento de livros no acervo – é de vital importância  acompanhar o engajamento dos usuários com a unidade de informação, e a gaimificação das atividades podem auxiliar tanto a recrutar mais usuários como pode auxiliar nas métricas, nas medidas do engajamento dos mesmos.

Graças a versatilidade da gamificação, as bibliotecas podem criar jogos para trazer sua  comunidade para mais perto, com pouco investimento de recursos e tempo, utilizando  materiais que são facilmente encontrados em qualquer unidade de informação, bem como, envolver o pessoal da tecnologia da informação, professores e alunos para planejarem e construírem jogos mais elaborados,  não que seja também obrigatório a construção de artefatos tecnológicos. O essencial na gaimificação consiste em se pensar em atividades utilizando elementos dos jogos, que tragam interação, ambientação da comunidade com o espaço da unidade informacional, de maneira presencial.

gamification1                     gamificacao-educacao-ensinoip

Atividade 2 – Avaliação dos grupos

Grupo 1

 

 

Grupo 3

Grupo 4

grupo 5

Grupo 6

Referências:

Google. Imagens. Disponível em: https://www.google.com.br/webhp?sourceid=chrome-instant&rlz=1C1EJFA_enBR689BR689&ion=1&espv=2&ie=UTF-8#q=google%20imagens. Acesso em: 20.jun.2016
OCLC. Online Computer Library Center. Disponível em: https://www.oclc.org/. Acesso em: 16.jun.2016
SNIIC. Uma plataforma para o século XXI. Disponível em: http://sniic.cultura.gov.br/. Acesso em 16.jun.2016

Anúncios

Grupo 2 – Leandro Grosselli

Post referente à atividade do dia 22/06/2016

 

Como integrar ferramentas colaborativas em sistemas já existentes em unidades de informação?

images

R: Segundo  Marteleto  (2001,  p.72), as redes sociais representam  “[…]  um  conjunto  de  participantes autônomos, unindo ideias e recursos em torno de valores e  interesses  compartilhados”.  O uso das redes sociais é uma ótima forma de integrar ferramentas colaborativas no sistema da Unidade de Informação, dando aos usuários mais praticidade na busca pela informação e para a Unidade uma ferramenta mais abrangente na divulgação das informações, alcançando um maior número de usuários. O Facebook, Instagram  e Google Plus podem ser usados como ferramentas já que muitos usuários dessas Unidades possuem cadastro nessas redes sociais. Poderia ser criado nas Redes Sociais um sistema de interação entre os atendentes da Unidade de Informação e os usuários, usar nas redes sociais hiperlinks que dariam acesso aos usuários à página da Unidade de Informação de forma mais rápida sem precisar pesquisar na Web.

Juntar as redes sociais no sistema da Unidade de Informação ajudaria na análise de satisfação do usuário com os serviços da Unidade de Informação.

 Que tipo de serviços inovadores para unidades de informação podem ser gerados com este tipo de ferramenta?

lista-de-redes-sociais-publicitariadigital

Poderia ser criado no Instagram uma galeria com imagens de livros que o usuário tem interesse em que a Unidade de Informação adquira, abrindo uma interação maior entre usuário e Unidade de Informação, assim fica-se sabendo quais são as necessidades de leitura dos usuários.

No Google criar enquetes para avaliar o nível de satisfação dos usuários para que seja observado quais as necessidades de melhorias que a Unidade de Informação necessita e quais as sugestões dos usuário quanto ao serviço oferecido.

No facebook pode ser criada uma forma de  interação onde haverá  uma janela para uma conversa direta entre Unidade de Informação e Usuário em tempo real, oferecendo ao usuário um serviço que sanaria suas dúvidas.

 

Referências:

MARTELETO,  Regina  Maria.    Análise  de  redes  sociais:  aplicação nos  estudos  de  transferência  da  informação.  Ciência  da  Informação Brasília,  v.  30,  n.  1,  p.  71-81,  jan./abr. 2001. Disponível em:<http://www.scielo.br/pdf/ci/v30n1/a09v30n1&gt;. Acesso em: 18 jun. 2016.

OLIVEIRA, Eduarda Bodaneze de; DUTRA, Moisés Lima. Um levantamento sobre do uso de ferramentas da Web 2.0 entre os estudantes da Ciência da Informação da Universidade Federal de Santa Catarina. Encontros Bibli: revista eletrônica de biblioteconomia e ciência da informação, Florianópolis, v. 19, n. 39, p. 153-182, abr. 2014. ISSN 1518-2924. Disponível em:<https://periodicos.ufsc.br/index.php/eb/article/view/1518-2924.2014v19n39p153>. Acesso em: 18 jun. 2016.

Grupo 2 – Sylvia

Etapa 4 – Atividade 3 – Referente ao dia 22/06

Ferramentas colaborativas em Unidades de Informação:

FERRAMENTAS

Fonte: (CANNYPIC).

Com o passar do tempo as Unidades de Informação, tais como as bibliotecas universitárias, tem se adequado as mudanças tecnológicas, para que assim possam se comunicar melhor com seus usuários. Divulgando suas ações, serviços e compartilhando as informações que possuem. Facilitando o acesso das informações para os usuários, por meio de ferramentas colaborativas, que além de dar acesso as informações, possibilita interação entre os usuários com o compartilhamento das informações.

Atualmente a maioria das bibliotecas universitárias já possuem sites com ferramentas de uso para os seus serviços oferecidos. Mas com a expansão das ferramentas colaborativas, se faz necessário que as bibliotecas as usem para aumentar o contato com seus usuários. Como exemplo de algumas ferramentas colaborativas disponíveis para uso e interação com os usuários, encontram-se como exemplo: Facebook, Instagram e Whatsap. Aplicativos que podem  ajudar não apenas os usuários, mas também a comunicação entre os funcionários desta instituição.

Instagram como ferramenta inovadora em uma U.I.:

instagram

Fonte: (CANNYPIC).

Uma biblioteca universitária dentre todos os recursos que possui em seu site, ainda pode utilizar ferramentas colaborativas como o instagram para divulgar seus serviços aos usuários e comunicar-se com os mesmos. Essa ferramenta possui funções de publicações de fotos, possibilidade de comentários nas fotos, compartilhamento de conteúdo no próprio aplicativo ou em outras redes sociais, e ainda possui chat para conversação privada.

Assim com esta ferramenta a biblioteca pode postar imagens de seu dia-a-dia de funcionamento, os serviços que são oferecidos, cursos que estão sendo aberto para alunos e comunidade, responder duvidas frequentes, informar os horários de funcionamento, divulgar eventos que estão acontecendo ou que irão acontecer. Toda essa gama de possibilidades de funções do aplicativo auxilia de forma a ampliar a forma com que seus usuários iram poder receber essas informações dessa U.I.

Referências:

CONTI, Daiana Lindaura; PINTO, Maria Carolina Carlos. Ferramentas colaborativas para bibliotecas. Pesquisa Brasileira em Ciência da Informação e Biblioteconomia, v. 5, n. 2, 2012. Disponível em: https://revista.acbsc.org.br/racb/article/view/684/pdf_15. Acesso em: 19 de junho de 2016.

Grupo 2 – Emmanuel

Etapa 4 – Atividade 2 – 08/06/2016

images (1)

Atividade 1 – Segurança da Informação 

Você sabe o que é um Cibercrime ?

Cibercrime.png

cibercrime1

FONTE: GOOGLE IMAGENS

Você sabe o que é Segurança da informação?

Segurança na informação

datauri-fil3

FONTE: GOOGLE IMAGENS

 

Atividade 2 – Biometria e Criptografia

Política de Segurança para a Biblioteca Universitária

Política de Segurança 

datauri-file

FONTE: GOOGLE IMAGENS

 

Apresentação de nossas alternativas de controles físicos e lógicos propostos:

– De que o acesso à informação seja obtido somente por pessoa devidamente autorizada (devido aos custos optamos pelo Login/senha e/ou reconhecimento biométrico das impressões digitais, devidamente coletadas no momento do cadastro), caso haja divergência em um dos casos, obrigatoriamente o usuário deverá apresentar seu documento de identidade com foto (confidencialidade);

– De que a informação seja mantida em seu estado original (integridade);

– De que todos os usuários que possuam seu credenciamento tenham acesso à informação sempre que o assim desejarem (disponibilidade);

– De que a troca de informações entre os usuários com a biblioteca, sejam devidamente preservados, evitando sua intercepção ou invasão, através do uso da criptografia, mais especificamente com o uso do PGP (Pretor Good Privacy), utilizando chaves assimétricas, bem como questões ligadas a repudiabilidade (pessoa que remeteu algo não pode se negar do envio).

– De que haverá um setor responsável pelo uso dos sistemas, manuseio, guarda de assinatura e certificados digitais.

– De que serão monitorados todos os ambientes onde houver o uso das tecnologias de informação e comunicação, na tentativa de inibir o roubo de equipamentos de hardware e software;

– De que serão gerados relatórios de todos incidentes de segurança, tais como: vírus, trojans, invasões, acessos indevidos, etc., para se trabalhar posteriormente com este material no planejamento estratégico da biblioteca;

– De que será interditado o acesso de pessoas não autorizadas em sala com as centrais de equipamentos do sistema de informação e servidores;

De que haverá uma Central de Monitoramento físico Integrado.

300

FONTE: GOOGLE IMAGENS

download.jpg   images

FONTE: GOOGLE IMAGENS

 

Referências:

BRASIL. Tribunal de Contas da União. Boas práticas em segurança da informação. 2. ed. Brasília: TCU, Secretaria de Fiscalização de Tecnologia da Informação, 2007.

BRASIL. Instrução Normativa Nº 01 DSIC/GSIPR de 13 de junho de 2008. Disciplina a Gestão da Segurança da Informação e Comunicações na Administração Pública Federal, direta e indireta. Diário oficial [da] União, Poder Executivo, Brasília, DF, 18 jun. 2008, n. 115.

BRASIL. Norma Complementar Nº 04 DSIC/GSIPR. Gestão de Risco de Segurança da Informação e Comunicações – GRSIC nos Órgãos e Entidades da Administração Pública Federal. Diário oficial [da] União, Poder Executivo, Brasília, DF, 17 ago. 2009, n. 156.

CASTELLÓ, T.; VAZ V. Tipos de Criptografia. Disponível em: <http://www.gta.ufrj.br/grad/07_1/ass-dig/TiposdeCriptografia.html&gt;. Acesso em: 10 jun. 2016.

GOOGLE. Imagens. Disponível em: https://www.google.com.br/search?. Acesso em> 10.jun.2016

KRONE, T. High Tech Crime Brief. Australian Institute of Criminology. Canberra, Australia. ISSN 1832-3413. 2005.

ROMAGNOLO, C. A. O que é Criptografia. Disponível em: <http://www.oficinadanet.com.br/artigo/443/o_que_e_criptografia&gt;. Acesso em: 10 jun. 2016.

 

 

 

 

Grupo 2 – Leandro Grosselli

Post referente à atividade do dia 15/06/2016

Como esclarecer os usuários de uma Unidade de Informação sobre tópicos relacionados a Crimes Cibernéticos e Segurança da Informação? Escreva alguns parágrafos que tratem desta questão e que sejam direcionados a usuários.

Esclarecer os usuários com boletins informativos quais são os maiores riscos ao acessar a Web e quais protocolos seguir para que no acesso seja seguido os procedimentos corretos para não prejudicar os computadores da Unidade de Informação, instruir a criar senhas fortes e não usar senhas que sejam nomes, datas etc. Orientar o usuário quanto aos tipos de crimes que são cometidos e como um invasor pode roubar informações preciosas que podem ser usadas para cometer crimes on-line. Orientar os usuário quanto as regras de segurança da informação, informando a não passar informações a ouras pessoas não autorizadas, assim assegurando que nenhuma alteração em suas bases sejam feitas propositalmente, acarretando em perda de dados, prejudicando a Unidade Informação na disponibilização de informação aos usuários.

1358978495_standard

 

Efetue uma pesquisa na Internet e procure artigos, notícias e informações a respeito de SISTEMAS BIOMÉTRICOS e CRIPTOGRAFIA DA INFORMAÇÃO.

Escreva alguns parágrafos propondo uma política para uma Unidade de Informação que contenha Controles Físicos e Controles Lógicos para proteger a Informação.

Smart-Meter-Security

Uma política adequada para uma Unidade de Informação é a implementação de Controles físicos e controles lógicos para que o controle seja mais seguro e não haja vulnerabilidade. No controle de Acesso Lógico, proteger os computadores e dar acesso aos usuários será o princípio básico da política da Unidade de Informação. Criar controles onde apenas os usuários autorizados tenham acesso aos recursos, os usuários tenham acesso aos recursos necessários, recursos críticos sejam restritos e monitorados, o usuário só poderá realizar tarefas compatíveis com sua função. Os controles físicos implementariam a segurança da Unidade de informação  com meios de monitorar e controlar acesso a locais restritos e acessar certos tipos de dados. Implantar uma política exigiria mais recursos da Unidade de Informação, porém trará mais segurança. Uma sala de monitoramento e câmeras no controle de acesso, um sistema biométrico traria mais praticidade na hora do empréstimo eliminando senhas. Penso que os dois sistema juntos são essenciais para melhorar o nível de segurança e tornar o trabalho mais prático.

FONTES:

http://pt.slideshare.net/taisflorencodejesus/resumo-47086647

http://segurancadainformacao.modulo.com.br/seguranca-da-informacao

Grupo 2 – Leandro grosselli

Post referente à atividade do dia 08/06/2016

Atividade 1

Escreva 1 (um) ou 2 (dois) parágrafos descrevendo como você estruturaria um portal informativo para a sua Unidade de Informação

Imagine que você irá apresentar o projeto para usuários desta U.I., portanto, use o linguajar deles

Estruturaria de uma forma que o usuário se sentisse confortável ao navegar no portal, pensando na usabilidade.  O portal terá somente as informações necessárias para não haver uma saturação de informação e confundir o usuário na hora da pesquisa.

Atividade 2

Para cada um dos quatro programas:

  1. Escreva cerca de 3 linhas contendo suas impressões a respeito do mesmo
  1. Biblioteca fácil: O layout é bem dinâmico, os menus são bem interativos, fácil de usar, o contra é ser pago, mas a unidade que investir terá um bom software para gerenciar, o que me chamou a atenção foi a parte de cadastros que é muito completo.
  1. BookDB: Minha impressão sobre o software foi negativa, não gostei do layout, achei difícil o uso e não é dinâmico. Penso que existem softwares melhores para gerenciar uma Unidade de Informação.
  1. Minibiblio: ótimo layout, a parte de catalogação é muito boa, dos quatro foi o mais dinâmico é um programa muito bom para se usar em uma unidade de informação.
  1. BiblioExpress: fica na mesma forma da impressão que tive do BookDB , a diferença que percebi é que já possui uma base com várias referências que é interessante.

Escolha 2 (dois) programas. Considere que você trabalha como representante comercial dos mesmos. Desta forma, para cada um deles:

  1. b) Escreva uma lista com 20 razões pela qual um cliente deveria comprá-lo (uma frase para cada razão)

Captura de tela 2016-06-08 11.56.17

 

Captura de tela 2016-06-08 11.57.18

Com relação aos 2 (dois) programas restantes, considere que você trabalha numa empresa concorrente e precisa descaracterizá-los. Desta forma, para cada um deles:

  1. Escreva uma lista com 20 razões pela qual um cliente não deveria comprá-lo (uma frase para cada razão)

Captura de tela 2016-06-08 11.48.33

Captura de tela 2016-06-08 11.46.14

MTG SOFTWARES. Gerências de bibliotecas: Biblioteca Fácil. [S.l.], 2016. Disponível em: <http://mtg.com.br/controle_biblioteca-programa_biblioteca_facil.html>. Acesso em: 3 jun. 2016.

NLP TECHNOLOGIES. BiblioExpress: your virtual law library. [S.l.], c2016. Disponívem em: <http://www.nlptechnologies.ca/en/biblioexpress>. Acesso en: 4 jun. 2016.

TEKNOMATIKA. Book DB2: Organizar os livros. [S.l.], [2016?]. Disponível em: <http://teknomatika.blogspot.com.br/2011/11/bookdb-2-organizar-os-livros.html>. Acesso em: 3 jun. 2016.

Grupo 2 – Sylvia

Atividade 1 – Etapa 4- Referente ao dia 08/06

Atividade 1: Estruturar um portal informativo para uma UI:

Portal BiblioInfo:

Este é um portal que trás informações diárias para toda e qualquer pessoa que gosta de ler e manter -se atualizado no munda das publicações literárias. O portal BilbioInfo conta com diversos recursos, que podem entreter e informar sua mente. Alguns de nossos recursos são: Post com matérias sobre os mais variados assuntos, desde publicações e lançamento de livros ou de como escrever seu próprio livro, são disponibilizados para download: livros, revistas, periódicos e audiolivros. O intuito deste portal é atendendo todos os publico e mante-los sempre informados.

Atividade 2: Escreva cerca de 3 linhas contendo suas impressões a respeito do mesmo:

Biblioteca Fácil:

Não consegui baixar o programa no meu computador. Tentei de algumas formas fazer, porém sem sucesso. E como informatica não é uma atividade que domino, não conseguirei avaliar este software.

Minibiblio:

Software bem fácil de ser usado, possui ícones interativos e as funções informações de uso são facilmente encontradas. É mais indicado para uso de bibliotecas pessoais ou de pequeno porte.

20 razões para o cliente comprá-lo:

  1. Layout com cores agradáveis;
  2. Interface intuitiva;
  3. Possui opção de backup dos dados;
  4. Configuração do bando de dados;
  5. Idioma em português;
  6. Possui opção de adicionar comentário as obras;
  7. Boa navegação;
  8. Ícones interativos;
  9. É um software gratuito;
  10. É facilmente instalado;
  11. Realiza cadastro de usuários;
  12. Conteúdo acessível;
  13. Fácil de realizar buscas;
  14. Realiza importação e exportação;
  15. Registra retirada de livros e devolução;
  16. Possui sistemas filtragem;
  17. Histórico de Locação;
  18. Permite inserir imagens;
  19. Cadastra vários tipo de materiais;
  20. Possibilita criação de etiqueta.

BookDB:

Possui um layout bem apagado, tornando menos atrativo aos olhos. Porém é fácil de ser utilizado. É possível fazer a traca de idiomas o que ajuda muito. Tem suas funcionalidades bem simples, fazendo o ser mais indicado para bibliotecas pequenas.

20 razões para o cliente não comprá-lo:

  1. Manual de uso apenas inglês;
  2. Navegação ruim;
  3. Pouca interatividade;
  4. Não faz portabilidade com outros sistemas,
  5. Backup não é completo;
  6. Layout pouco atrativo;
  7. Não permite alterar layout;
  8. Cores de fonte ruins;
  9. Tamanho ruim da fonte;
  10. Possui falhas no sistema;
  11. Difícil de realizar pesquisas;
  12. Não disponibiliza suporte;
  13. Pouco conteúdo;
  14. Cadastro de usuário ruim;
  15. Software pago;
  16. Sem garantia de segurança;
  17. Ícones não atrativos;
  18. Poucas informações;
  19. Função de ajuda ineficiente;
  20. Não auxilia com manual de navegação;

 

BilbioExpress:

Software não é fácil de ser utilizado pelo usuário. Idioma de uso é apenas em inglês, o que torna dificultoso o uso para aquele usuário que não tem domínio minimo do idioma.

20 razões para o cliente não comprá-lo:

  1. Idioma em inglês;
  2. Não altera idioma;
  3. Layout ruim;
  4. Não permite alterar layout,
  5. Está desatualizado;
  6. Cores ruins;
  7. Pouco interativo;
  8. Navegação ruim;
  9. Fonte pequena;
  10. Não permite alterar Layout;
  11. Portabilidade ruim;
  12. Instalação difícil;
  13. Não apresenta histórico de navegação;
  14. Difícil realizar Importação e exportação;
  15. Ícones não interativos;
  16. Opção de ajuda não funciona;
  17. Não retorna a função anterior;
  18. Não possui tutoriais;
  19. Não possui suporte;
  20. Não realiza backup;