Grupo 1 – Madeleine

Este post é referente a etapa 4 – atividade 3 do dia 15 de junho 2016

Ferramentas colabolativas

Imagem 1 – Ferramentas colaborativas

25888.jpg

Fonte: <https://ch2acomunicacao.files.wordpress.com/2016/03/midias_sociais.png&gt;.

1. Como integrar ferramentas colaborativas em sistemas já existentes em unidades de informação?

   Com o advento da tecnologia, a velocidade que as informações se disseminam e a popularização das redes sociais e de compartilhamento, usuários de diversos  tipos de produtos e serviços demandam que estes também estejam presentes em suas realidades tecnológicas cotidianas. Redes sociais como o Facebook, Twitter, Instagram, YouTube, Tumblr, Blogs, Google Plus podem ser utilizadas para integrar ferramentas colaborativas em uma UI.

   A interação entre os profissionais da informação e os usuários, se torna muito mais rápida e eficaz com a integração das ferramentas colaborativas. Esclarecimento de duvidas por chats ou publicações sobre novidades na UI no Facebook podem ser visualizados quase que instantaneamente. Postagens de fotos da biblioteca, seus eventos e informações sobre algumas obras podem ser visualizadas no Instagram da unidade. São diversos os mecanismos e possibilidades de utilização das ferramentas, é indispensável que UI esteja sempre atualizando o conteúdo dessas redes, de forma atrativa ao usuário afim de aumentar a visibilidade da instituição.

2. Que tipo de serviços inovadores para unidades de informação podem ser gerados com este tipo de ferramenta?

Fonte: Twitter

Twitter – Com o limite de 140 caracteres, essa ferramenta pode ser utilizada para compartilhar pequenos resumos de livros, noticias sobre a UI com links que direcionam ao site da instituição além de noticias pertinentes sobre educação e cultura. Outro recurso é disponibilizar obras de acesso livre para download aos usuários que fizerem um retweet da publicação sobre a obra.

Fonte: YouTube

YouTube – Ferramentas como o YouTube podem auxiliar na disseminação de cursos de capacitação,publicações de audiolivros gratuitos, tutoriais de como utilizar o site e o catalogo da instituição. São comuns canais do YouTube direcionados à educação ou à divulgação cientifica se manterem financeiramente por Crowdfunding. A biblioteca que produz conteúdos audiovisuais pode utilizar esse mecanismo para elevar a qualidade dos seus videos. O financiamento torna possível a contratação de profissionais qualificados e relevantes na área para ministrar minicursos, além de possibilitar um conteúdo personalizado aos usuários financiadores, que além de opinar sobre o tema dos minicursos e sugestões em geral, como os usuários não pagantes, recebem conteúdo exclusivo como apostilas e eBooks.

 

Grupo 1 – Madeleine

Este post é referente a atividade do dia 14 de junho

Atividade 1 – Segurança da Informação 

Fonte: https://dcvitti.files.wordpress.com/2012/11/crimes-cibernc3a9ticos.jpg

Você sabe o que são crimes cibernéticos? 

São crimes cometidos contra um sistema de computadores ou por intermédio dele, como o acesso ilegal, o roubo, a pornografia infantil, falsificação, manipulação de dados e fraude. Tais crimes são facilitados pelo uso de softwares maliciosos, ou malwares, como os vírus, cavalos de troia, keyloggers (registro de digitação). 

Você está seguro na WEB? 

Qualquer pessoa que utilize computadores, tablets, celulares, com acesso à internet, pode sofrer um crime cibernético. Citamos abaixo algumas atitudes que o auxiliarão a se prevenir e manter sua segurança na web:  

  • Utilize antivírus – mantenha seu antivírus atualizado para que ele possa prevenir e bloquear ameaças. 
  • Não clique em links desconhecidos – links em sites, e-mails, podem ser maliciosos, procure passar o mouse em cima do link (não clique) e verifique na barra de status do navegador onde o link irá lhe direcionar. 
  • Use senhas difíceis – não utilize senhas com nomes pessoais, datas, número de contas ou senhas curtas, procure utilizar senhas diferentes em cada site navegado e que possuam no mínimo 6 dígitos. 
  • Não envie informações pessoais pela web – não compartilhe senhas, números de contas por e-mails ou chats pois as conversas podem ser interceptadas.  
  • Uso consciente – navegue pela web com bom senso, observando atentamente conteúdos e atitudes de terceiros que pareçam suspeitos. 

Atividade 2 – Biometria e criptografia 

Fonte: http://cdn2.hubspot.net/hub/240973/file-600655261-png/images/140324_ciscoseguran%C3%A7a_blog.png

A biometria se caracteriza por “sistemas automáticos de verificação de identidade baseados em características físicas do usuário” (BRASIL, 2007, p. 17), alguns tipos de sistemas biométricos utilizam reconhecimento de voz, impressões digitais e geometria da mão para realizar seu acesso. 

Criptografia “é a ciência que oculta o significado de uma mensagem e tem como ferramenta os recursos matemáticos para cifrar e decifrar mensagens. O ato de cifrar consiste em transformar um texto normal em texto secreto” (FRANÇA, 2005, p. 01). 

Segundo a Politica de Proteção da Informação na UI, deverão ser utilizados controles de segurança como:  

  • Controles Físicos – Seguranças e recepcionistas; câmeras de monitoramento; sistema de alarme; portas com fechaduras. 
  • Controles Lógicos – Autenticação por login e senha; cartões inteligentes; sistemas biométricos com reconhecimento de impressões digitais (nos acessos que demandam um nível de segurança mais alto); criptografia (software que permite criptografar e-mails); antivírus; firewalls. 

BRASIL. TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO. Boas práticas em segurança da informação. 2. ed. Brasília: TCU, 2007. 

FRANÇA, Waldizar Borges de Araújo. Criptografia. [2005], p. 01-14. Disponível em:<https://www.ucb.br/sites/100/103/TCC/22005/WaldizarBorgesdeAraujoFranco.pdf&gt;. Acesso em: 15 jun. 2016. 

NORTON. O que é crime cibernético?. Disponível em: <http://br.norton.com/cybercrime-definition&gt;. Acesso em: 15 jun. 2016.

Grupo 1 – Madeleine

Este post se refere à atividade para o dia 8 de junho.

Atividade 1: Portal WEB da U.I.

Fonte:http://www.empari.com.br/wp-content/uploads/portal-web.jpg

Portal Informativo Biblioteca Comunitária

O objetivo do portal informativo da biblioteca comunitária é possibilitar mais um suporte para interação e acesso à informação da comunidade. Serão disponibilizadas dados sobre a biblioteca, como a missão, os valores, a visão e os objetivos, o quadro de funcionários, formas de contato, e um feedback personalizado. Também estarão disponíveis informações sobre o acervo da biblioteca, nosso catálogo de obras, redes sociais, noticias da comunidade, noticias pertinentes sobre educação, cultura, cursos, eventos do município e eventos  programados pela biblioteca. Com uma aparência inovadora e intuitiva o site irá se estruturar basicamente por um menu Inicio; onde serão apresentadas as noticias e novidades, Biblioteca, onde ficarão as informações da unidade, politicas e serviços; Catalogo, onde ficarão os dados do acervo, os livros digitais disponíveis para download; Fale conosco, as formas de contato e um Chat personalizado. O portal visa ampliar a visibilidade da biblioteca e a interação com a comunidade.

Atividade 2: Softwares Biblioteca

Minibiblio: 

Interface intuitiva, prática e objetiva, apresenta todas as opções de configuração e tarefas na tela inicial. Operações executadas facilmente. As obras cadastradas estão ordenados nas suas respectivas categorias, associadas à figuras.

Biblioteca Fácil: 

Possui uma interface gráfica confortável,  fácil de encontrar às informações. Permite executar várias tarefas ao mesmo tempo, por meio de abas. Categorias bem divididas e intuitivas.

BookDB: 

A interface é simples e pouco intuitiva, todas as categorias apresentam a mesma aparência, foram cometidos vários erros até compreender o funcionamento das operações do software.

BiblioExpress: 

Interface simples e objetiva, utilizada para o gerenciamento de referencias, as tarefas são executadas facilmente, apresenta categorias bem especificas para as referências, apresenta formatações como um documento de texto.

Lista de 20 razões pela qual um cliente deveria comprá-lo

Minibiblio: deveria comprar

 MiniBibliooo.jpg

Biblioteca Fácil 8.0: deveria comprar

MiniBibliooo.jpg

Lista de 20 razões pela qual um cliente não deveria comprá-lo

Biblioexpress: não deveria comprar

MiniBibliooo.jpg

BookDB: não deveria comprar

MiniBibliooo.jpg

Grupo 1 – Madeleine

Este post é referente a atividade do dia 01 de junho  de 2016.

Atividade 1:

No Brasil, a Lei 9610/98 dos direitos autorais não trata especificamente do âmbito digital, porém destaca que “não se pode utilizar, publicar ou reproduzir uma obra sem o consentimento de seu autor” (IAZEN; PINTO; WILDAUER, 2013, p. 210). Sendo assim, a politica de gestão da UI, deve pensar em atitudes que respeitem o direito do autor e o acesso aos usuários. Alguns exemplos de ações que a UI poderia implementar para lidar com os direitos autorais e a propriedade intelectual na WEB .

– Adquirir eBooks por assinatura, tais necessitam de renovações periódicas pela biblioteca com o fornecedor para deter temporariamente a licença de uso obra. Adquirir também eBooks por aquisição perpétua, a biblioteca adquire a obra como um livro físico e possui sua licença de uso.  (SERRA, 2013)

– Desenvolver uma politica de acesso às obras dos repositórios, os ebooks adquiridos deverão possuir acesso restrito na base por um login, para professores, alunos e colaboradores da UI.

– Permitir a leitura online e a leitura off-line através do software reader.

– O empréstimo de ebooks deverá possuir um prazo, sem direito a renovação, onde o conteúdo do livro será automaticamente bloqueado.

– Disponibilizar obras de domínio público gratuitas para download.

– Permitir acesso livre à  obras sujeitas à licença de Creative Commons, publicações Open Access, como produções acadêmicas, teses, artigos, que permitem distribuição, copia e licenciamento, desde que a fonte seja citada. (SERRA, 2013)

Atividade 2: 

Figura 1 – Biblivre

 bib.jpg

Fonte: <http://biblivre.org.br/images/topo/logo.png&gt;.

O Biblivre possui uma interface agradável, pragmática e intuitiva, a pesquisa, o empréstimo, os cadastros e as outras tarefas são encontrados com rapidez e realizados facilmente. Possui exemplos bem explicativos. Não houve problemas na realização de nenhuma tarefa.

Figura 2

 bib.jpg

Fonte: <//pmfi.phlnet.com.br/phl8/phl.jpg>

O PHL não possui um menu muito intuitivo. A interface possui aparência de fórum, não atrativa ao usuário. Apresenta opções de números de classificação e Cutter. Algumas tarefas demandaram muito tempo para serem concluídas. Poderia melhorar o layout e as hierarquias, pois o usuário demora um pouco para se habituar ao software.

Atividade 3: 

Figura 3 –  Cadastro de obra tipo Livro no Biblivre encontrada no catálogo da Biblioteca Nacional  

DIAGRAMA DE ATIVIDADES1.jpg

Fonte: Autor

REFERÊNCIAS

IANZEN,Adriane;WILDAUER, Egon Walter; PINTO, José Simão de Paula. Encontros Bibli: revista eletrônica de biblioteconomia e ciência da informação, v. 18, n. 36, p.203-230, jan./abr., 2013. Disponível em:<https://periodicos.ufsc.br/index.php/eb/article/viewFile/1518-2924.2013v18n36p203/24519&gt;. Acesso em: 28 maio 2016.

SERRA, Liliana Giusti. Direitos autorais e bibliotecas digitais. Infohome. 2013. Disponível em: <http://www.ofaj.com.br/colunas_conteudo.php?cod=776&gt;. Acesso em: 28 maio 2016.

Grupo 1 – Madeleine

Este post se refere à atividade para o dia 25 de maio.

Para cada uma das dimensões abaixo, identificar uma tarefa relacionada numa U.I. e dividi-la em, no mínimo, 10 subtarefas sequenciais.

Software / Aplicações – Tarefa cadastro de um exemplar de livro no acervo no software de automação
1 – Clicar em Consulta ao acervo
2 – Ir à barra Filtros e selecionar Pesquisar por: ISBN
3 – Digitar ISBN do livro e fazer a busca
4 – Clicar em Abrir planilha
5 – Verificar se os dados do livro estão corretos
6 – Ir na aba Exemplares
7 – Preencher os dados sobre Fornecedor, Quantidade, Data de aquisição, Nota fiscal e Valor
8 – Conferir dados digitados
9 – Clicar em Inserir
10 – Gerar código do(s) novo(s) exemplar(es)

Hardware / Equipamentos – Tarefa confecção de carteirinha de usuário
1- Receber usuário na UI
2 – Clicar em Cadastro de usuário
3 – Preencher dados
4 – Tirar foto do usuário utilizando webcam
5 – Pedir ao usuário que digite uma senha de 6 dígitos
6 – Clicar em Salvar
7 – Colocar carteirinha sem dados na impressora de carteirinhas
8 – Clicar em Imprimir
9 – Conferir dados utilizando o leitor de código de barrar no código da carteirinha
10 – Entregar carteirinha pronta ao usuário

Dados / Armazenamento – Tarefa fazer Backup de arquivos no Biblivre
1 – Abrir Biblivre
2 – Fazer login em uma conta de administrador
3 – Entrar no menu Administração
4 – Entrar na Manutenção
5 – Na Cópia de Segurança (Backup) clicar em Gerar backup completo
6 – Aguardar software gerar backup
7 – Clicar na data e hora do ultimo backup feito
8 – Aguardar download
9 – Copiar arquivo de backup
10 – Colar na pasta destinada aos backups

Recursos Humanos / Atores – Tarefa conferir recebimento de novas aquisições
1 – Receber as caixas de documentos tragos pela transportadora na UI
2 – Organizar as caixas em um local
3 – Escolher uma nota fiscal
4 – Buscar pela(s) caixa(s) com o número da nota fiscal
5 – Abrir as caixas
6 – Conferir os documentos e suas quantidades de acordo com a nota fiscal
7 – Escrever OK a cada documento conferido corretamente
8 – Escrever na nota fiscal Conferido
9 – Agrupar aquisições da nota fiscal em uma estante
10 – Escrever na etiqueta da estante nº da nota fiscal, nº do empenho e data

Atendimento / Interface com o Usuário – Tarefa realizar pesquisa no acervo para o usuário
1 – Abrir campo de pesquisa
2 – Pedir ao usuário uma delimitação de assunto
3 – Delimitar a busca por palavra-chave
4 – Inserir as palavras-chaves utilizadas na busca
5 – Fazer a busca
6 – Analisar os documentos recuperados
7 – Com o auxilio do usuário selecionar a quantidade pertinente
8 – Anotar em um papel o numero de chamada do(s) documento(s)
9 – Entregar ao usuário o papel
10 – Instruir sobre o caminho às estantes onde as obras se encontram

Acessibilidade – Tarefa gravação de vídeos em libras para o site da UI
1 – Selecionar conteúdo do vídeo
2 – Escrever roteiro
3 – Selecionar profissional proficiente em libras
4 – Entregar roteiro ao profissional
5 – Posicionar equipamentos para gravação
6 – Gravar vídeo
7 – Salvar vídeo
8 – Editar vídeo
9 – Salvar edição de vídeo
10 – Postar vídeo no site da UI juntamente com seu conteúdo escrito

Figura 1 – Diagrama de atividade da tarefa cadastro de um exemplar de livro no acervo no software de automação

Sem título

Fonte: Autor

Equipe 1 – Madeleine

Este post se refere à atividade para o dia 11 de maio.

Funcionalidades

  • Adquirir obra
  • Catalogar obra
  • Cadastrar obra do acervo
  • Emprestar itens
  • Gerar carteirinha usuários

Proposito do teste

Será aplicado um teste de verificação, com o proposito de mensurar a usabilidade das funcionalidades integradas em um software de automação de bibliotecas.

 Equipe interna envolvida

  •  Avaliador especializado em softwares de automação para bibliotecas
  •  Observadores bibliotecários e administradores da UI.

Configuração do ambiente de teste

Ambiente composto por duas salas. Um delas com o computador de teste e uma câmera focada no usuário.  A próxima sala, onde estará o avaliador e os observadores, é composta por um computador para monitoramento, que irá mostrar o que acontece na tela do computador de teste.

Usuários selecionados

  • Bibliotecários atuantes na aquisição, processamento técnico e atendimento ao usuário.

Critérios e métricas de usabilidade 

Aquisição Sim Não
Permite realizar o controle da situação (status) do documento (encomendado, aguardando autorização, aguardando nota fiscal, etc)?    
Permite identificação da modalidade de aquisição (doação, compra, permuta, depósito legal)?    
Permite realizar o controle de datas de recebimento do material adquirido?    
Permite realizar o controle de fornecedores?    
Processamento técnico (catalogação e cadastro da obra)           Sim Não
Controla o registro do material bibliográfico?    
Permite processamento de materiais especiais?    
    Obras raras    
    Periódicos    
Permite importação de dados de catálogos cooperativos on-line?    
Gera etiquetas com código de barras?    
Circulação (empréstimo e carteirinha de usuário) Sim Não
Permite a realização de um cadastro de perfis de usuários?    
Gera um código de barras para cada usuário?    
Possui um sistema de aplicação de multas?    
Possibilita a pesquisa sobre o status do documento (disponível, emprestado, em tratamento)?  

Funcionalidades escolhidas e como elas deverão ser executadas no sistema

  • Adquirir obra – o usuário deve-rá  cotar novos itens, na opção Novas aquisições.
  •  Catalogar obra – utilizar a opção Catalogação, inserir dados no MARC 21.
  •  Cadastrar obra do acervo – utilizar a opção Cadastro exemplar, inserir a quantidade de exemplares, a forma de aquisição, e cadastrar.
  •  Gerar carteirinha usuários – preencher as informações na  opção Cadastro,  e imprimir carteirinha.
  • Emprestar itens – Na opção Empréstimo, inserir o numero de cadastro do usuário, utilizar o leitor de código de barras, e emprestar a obra

Etapas detalhadas do teste

  • Elaboração do roteiro de teste
  • Três tipos de roteiros de teste, aplicado individualmente para o usuário e seu respectivo setor: Aquisição, Processamento Técnico e Circulação
  • Organização das salas
  • Orientar os usuários sobre o teste, as tarefas à serem desempenhadas
  • Posicionar o usuário e iniciar o teste
  • Monitoramento do tempo de cada tarefa, anotações e analises.
  • Encerramento do teste
  • Agradecer ao usuário e dispensá-lo
  • Posicionar o próximo usuário e iniciar o próximo teste

 

 REFERÊNCIAS

CAFE, Lígia; SANTOS, Christophe Dos  and  MACEDO, Flávia. Proposta de um método para escolha de software de automação de bibliotecas. Ci. Inf. [online]. 2001, vol.30, n.2, p.70-79. Disponível em: < http://www.scielo.br/pdf/ci/v30n2/6213.pdf>. Acesso em: 09 maio 2016.

 

Grupo 1 – Madeleine

Este post é referente a atividade do dia 4 de Maio de 2016

Setor de Aquisição

5 atores

  • Bibliotecário
  • Bibliotecário gestor
  • Usuário
  • Distribuidora
  • Financeiro (divisão de compras)

10 funcionalidades essenciais

  • Averiguar demanda de novas obras
  • Analisar sugestão do usuário
  • Selecionar as obras mais pertinentes
  • Desenvolver planilha com as solicitações
  • Requisitar e fazer aprovar a aquisição à divisão de compras
  • Negociar com a distribuidora
  • Providenciar pagamento
  • Receber as obras adquiridas
  • Conferir as informações da obra
  • Prestar contas

   O cenário escolhido se caracteriza por uma biblioteca especializada, composta por documentos em meio físico, tratando especificamente do setor de aquisição.

      No setor de aquisição de uma UI, para selecionar uma obra os bibliotecários analisam as sugestões feitas pelos usuários, verificam no acervo se a obra já é existente e pesquisam sobre novidades na área em que a UI se especializa. Selecionam os fornecedores levando em conta o custo beneficio, enviam documentos de solicitação de compras ao setor financeiro a fim de terem sua compra aprovada, às vezes, dependendo da burocracia da instituição, é necessário justificar as solicitações de aquisição. A partir do momento que a compra é aprovada, é feita uma negociação com a distribuidora, estipulam-se preços, descontos, data de entrega e o pagamento final que será intermediado pela divisão financeira da instituição. Feito o pagamento, a distribuidora envia as obras à unidade, responsabilizando-se pelo transporte ou contratando uma transportadora terceirizada, juntamente com a chegada do material se faz necessário conferir as informações e as notas fiscais, se houver algum problema com o material deve-se efetuar uma troca. Por fim, se as informações da obra estiverem corretas, pode-se fazer a prestação de contas da aquisição, e a obra pode ser enviada ao setor de processamento técnico para que possa ser incluída ao acervo.

Abaixo encontram-se o cenário escolhido sob a forma de sistemas e subsistemas, e um diagrama de casos de uso modelado no Violet UML:

Figura 1 – Modelo de sistemas e subsistemas

tstss.jpg

Fonte: Autor

Figura 2 – Diagrama de casos de uso

tststss.jpg

Fonte: Autor