Grupo 4 – Leonardo

Ferramentas Colaborativas

Ferramenta colaborativa para produção e consulta de documentos integrada ao WebSite da Unidade de Informação

mediawiki_logo_reworked
Fonte: MediaWiki

Publicação referente a Etapa 4 Atividade 3 para o dia 22 de junho de 2016

     No ambiente de uma unidade de informação, todas os documentos que orientam os procedimentos, como normas, políticas, diagramas de atividades e tutoriais, só podem ser úteis quando encontrados de maneira rápida em mídia centralizada.

     Para dispor desse serviço de colaboração para consulta e criação de documentos, é necessário uma ferramenta simples em plataforma  com interoperabilidade e que tenha baixa curva de aprendizado de maneira que todos tenham domínio.

     Buscando um software que atenda estes requisitos, que seja acessível, possua controle de versões, controle de acesso e seja compatível com diferentes formatos de imagens, vídeos e textos, encontra-se o MediaWiki como alternativa de software livre.

      A sua integração no site para o público interno e externo da biblioteca é simples bastando divulgar os serviços via link nos Web Sites da Intranet e Internet.

Fonte: Canal do Youtube Cliice20.

 

Aplicação para compartilhamento de Livros integrada ao Web Site da Unidade de Informação

Livrio
Fonte: Livrio

 

     Uma Startup Catarinense desenvolveu o App Livrio para tornar o compartilhamento de livros mais fácil e seguro, conseguindo atingir um grande número de pessoas. A solução é uma excelente opção para a Biblioteca realizar empréstimo de suas obras para todos os públicos. Cadastrando as obras que estão disponíveis em maior número de exemplares, assim conseguindo novos leitores e obtendo um oportunidades de marketing e visibilidade.

Livrio2
Fonte: Livrio

    O App está disponível para IOS e Android de forma gratuita, para fazer o cadastro do acervo a aplicação utiliza-se do ISBN ou do código de barras do livro. Após a entrada dos dados via câmera do celular o aplicativo cataloga o livro automaticamente e disponibiliza para empréstimo na biblioteca virtual da conta criada. A integração é simples, basta realizar a divulgação do acervo Livrio no Web Site da biblioteca. Os interessados só poderão realizar o empréstimo após a realização do cadastro permitindo todo controle pela biblioteca.  

 

A serviços Inovadores com o MediaWiki e Livrio na Unidade de Informação

    Ter toda a documentação em mãos representa agilidade no atendimento. As dúvidas de operação no Biblivre, ou atender um  COMUT, podem atrapalhar o serviço.  Com o MediaWiki é possível reunir toda documentação, tutoriais, e normas para orientar os diferentes serviços da biblioteca. É ambiente também para conteúdos de auxílio na pesquisa, no reforço escolar, no serviço de referência, guias para recursos educacionais abertos.

    Um serviço que encurte as distâncias e esteja tão perto como uma rede social, certamente é um bom aliadado para movimentar a UI com novos leitores. O Livrio possibilita a realização de empréstimos na tela do celular, após o prazo estabelecido para empréstimo o aplicativo avisa que chegou a hora de devolver o livro. Permite que os usuários recomendem livros, cadastrem sua biblioteca pessoal, visitem as bibliotecas disponíveis e controlem facilmente os empréstimos. Uma ótima opção para inovar serviços na UI.

Livrio3
Fonte: Livrio

Referências

Cómo crear una página en MediaWiki. Lice20. [S.L.], (7 min), color. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=CMKcv3YUW5M&gt;. Acesso em: 20 jun. 2016.

MediaWiki. Disponível em: <https://www.mediawiki.org/wiki/MediaWiki/pt-br&gt;. Acesso em: 20 jun. 2016

Consumo Colaborativo. Disponível em: <http://consumocolaborativo.cc/livrio-app-para-estimular-a-troca-de-livros/&gt;. Acesso em: 20 jun. 2016.

Publishnews. Disponível em: <http://www.publishnews.com.br/materias/2016/02/25/aplicativo-ajuda-a-controlar-emprstimo-de-livros&gt;. Acesso em: 20 jun. 2016.

Livrio. Disponível em: <http://livr.io/&gt;. Acesso em: 20 jun. 2016.

Leonardo – Grupo 4

Segurança da Informação

Segurança
Fonte: Comitê Gestor da Internet no Brasil – CGI.br

 

Publicação referente a Etapa 4 Atividade 2 para 8 de junho de 2016

     A Segurança da Informação é um tema estratégico e central em todas as instituições na atualidade. Observando-se o número de operações realizadas diariamente na internet, percebe-se a importância da adoção de boas práticas de TI. Com a finalidade de evitar os riscos da internet e principalmente os crimes cibernéticos, é importante a promoção de palestras e treinamentos nas instituições focados em segurança da informação. A melhor ferramenta de prevenção para incidentes de segurança de TIC, é a conscientização dos usuários para as boas práticas de TI formuladas no âmbito organizacional.

     A Internet possibilitou diversas facilidades e vantagens para a sociedade, muito embora tenha também trazido inúmeras preocupações para as instituições (CERT.Br):

  • Acesso a conteúdos impróprios;
  • Contato com pessoas mal-intencionadas;
  • Furto de identidade;
  • Furto e perda de dados;
  • Invasão de privacidade;
  • Divulgação de boatos;
  • Dificuldade de manter sigilo;
  • Uso excessivo ou desmedido da Internet;
  • Plágio e violação de direitos autorais;
  • Golpes na Internet;
  • Ataques na Internet;
  • Vírus;
  • Códigos maliciosos (Malware); e
  • Spam.

 

Política de Segurança da Informação e da Comunicação – Biblioteca Pública

    A Política de Segurança da Informação e da Comunicação (PSIC) é um conjunto de Normas, Diretrizes e Procedimentos que define as condutas e comportamentos, dos integrantes da instituição, voltados para a segurança dos sistemas, serviços e recursos de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC). Objetiva principalmente as integridade dos dados e serviços de TIC da instituição.

     Estas normas visam a organização de procedimentos ações que garantam a disponibilidade, integridade, confidencialidade e autenticidade (DICA) das informações.

1 Controle Lógico

1.1 Autenticação de usuários:

a) Os funcionários da biblioteca deverão ser credenciados com ID, senha e certificado  digital (token) para autenticação de acordo com a configuração dos sistemas; e

b) Os usuários da biblioteca  deverão ser credenciados com cartão e senha para o empréstimo e devolução no sistemas de auto atendimento.

2 Controle Físico

2.1 Reconhecimento de usuários:

a) Os funcionários da biblioteca com acesso a sala dos servidores (sala cofre), deverão ser credenciados no sistema de reconhecimento biométrico para ter acesso franqueado ao interior da sala;

Video Panorama da Segurança da Informação

Fonte: DEVMEDIA

REFERENCIAS

CERT.br. Cartilha de Segurança para Internet. São Paulo: Comitê Gestor da Internet no Brasil, 2012. Disponível em: <http://cartilha.cert.br/livro/cartilha-seguranca-internet.pdf >. Acesso em: 14 jun. 2016.

CAMARA, Danielle Paes B. de A.; DA ROCHA JR, Valdemar C. Combinando Criptografia e Biometria: Sistemas de Regeneração de Chave. Revista de Tecnologia da Informação e Comunicação, V. 2, N. 2, dez. 2012. Disponível em: <http://www.rtic.com.br/artigos/v02n02/v02n02a05.pdf&gt;. Acesso em: 14 jun. 2016.

MONTEIRO, Iná Lúcia Cipriano de Oliveira. Proposta de um Guia Para Elaboração de Políticas de Segurança da Informação e Comunicações em Órgãos da Administração Pública Federal. 2009. 67 f. Monografia de Especialização (Curso de Especialização em Gestão de Segurança da Informação e Comunicações) – Departamento de Ciência da Computação, Universidade de Brasília, Brasília 2009.

PANORAMA da Segurança da Informação. CARDOSO, Carlos Hélio. [S.L.] :DEVMEDIA, (29 min), color. Disponível em: <http://www.devmedia.com.br/panorama-da-seguranca-da-informacao/34168>. Acesso em: 14 jun. 2016.

Grupo 4 – Leonardo

Portal Web de Unidade de Informação

      O Portal Web da Biblioteca Pública deve ser de concepção simples e funcional, contendo um layout fluido, agradável e objetivo. Para executar o projeto com poucos recursos, consideramos o uso da plataforma WordPress como CMS, que além de ser open source dispõe de diversos plugins  que podem ser empregados em portais de bibliotecas. Também na plataforma Worpress a Bireme desenvolveu um plugin para portais de biblioteca digital de saúde, que pode ser utilizado investindo apenas recursos humanos e recursos de TI sem maiores investimentos monetários.

bvs
 

Fonte: Biblioteca Virtual de Saúde

 

      A concepção de cores e images deve parecer bastante leve onde os principais destaques serão os links: Pesquisa de Exemplares, Contate-nos, Horário de Funcionamento e Novas Aquisições. A parte central do site terá em destaque diferentes assuntos onde depois da seleção se encontrará a imagem da capa dos exemplares de cada obra com o título, autor e um breve resumo.

screenshot-2
 

Fonte: Now Reading Redux

 

 

 

Softwares Biblioteca

MiniBiblio:

Minibiblio carregando
Fonte: Imagem do MiniBiblio

     De acordo com o menu ? / sobre MiniBiblio, ele é distribuído como MiniBiblio Freeware, logo em seu site é definido como uma distribuição DonationWare, modalidade que o desenvolvedor pede doações. O Sistema é simples, possui cadastramento de livros, revistas, vídeos, manuais, discos e dados. Faz o controle de empréstimos e possibilita  diferentes ajustes da interface.

BookDB:

BookDB
Fonte: Imagem do Software BookDB

       Software distribuído como Freeware, desenvolvido pelo programador Simon Haynes do Site Spacejock Software, interface minimalista e prática, traduzido para 28 idiomas diferentes inclusive Pt-Br. O programa em versão 2.2.40 de 2016, possui as funções de exportação e importação de livros, dos leitores e da base  de dados e faz pesquisa por ISBN. 

Biblioteca Fácil:

Biblioteca Fácil
 

Fonte: Software Biblioteca Fácil

 

       Software proprietário distribuído em versão de demostração para 50 execuções, licença de uso de R$ 219,00 para a 1ª versão e 2/3 do valor vigente para atualizações. Sistema com interface customizável e que atende a tarefa de controle de pequenos a médios acervos.

BiblioExpress:

BiblioExpress

Fonte: Software BiblioExpress

 

       Software distribuído pela empresa CG Information com copyrigth e é uma demonstração para a versão comercial Bibliosacape.  É uma  ferramenta simples para  guardar registros bibliográficos para futuras citações. Não faz empréstimos, cadastramento de leitores, cadastro de usuários e não suporta controle de acervos. 

 

20 Razões pela qual você deve comprar o Biblioteca Fácil e o MiniBiblio.

20 Razões pela qual você não deve comprar o BiblioExpress e o BookDb2.


 

Referências

BIBLIOTECA VIRTUAL EM SAÚDE.  Disponível em: <http://enfermagem.bvs.br/&gt;. Acesso em: 7 Junho 2016.

PORTAL DO MODELO DA BVS Gestão Metodologias e Tecnologias.  Disponível em: <http://modelo.bvsalud.org/vhl/metodologias-e-aplicativos/portal-da-bvs/&gt;. Acesso em: 7 Junho 2016.

NOW READING REDUX.  Disponível em: <https://wordpress.org/plugins/now-reading-redux/&gt;. Acesso em: 7 Junho 2016.

Grupo 4 – Líder Etapa 3 (Leonardo)

Este post se refere à atividade líder para o dia 1 de junho.

Atividade 1 – Planejamento de Testes de Usabilidade

Imagem 1 – Teste de Usabilidade.

JACKSON

Fonte: (PICHIALINI, 2014).

   Na atividade 1 o grupo adotou como UI, diferentes tipos de bibliotecas como cenário para elaboração do planejamento dos testes de usabilidade. Nessa atividade o grupo lidou com os diferentes parâmetros para avaliação de software, escolheu individualmente 5 funcionalidades para testar usabilidade, montou uma equipe de atores da UI, estabeleceu uma configuração e métricas para a realização dos teste de usabilidade.

Atividade 2 – Atividades e Subtarefas

Imagem 2 – Atividade e Subtarefas.

Tree.png

Fonte: Dreamstime.

   Na atividade 2 o grupo permaneceu em uma UI fictícia como biblioteca, e nesse cenário não menos extenso, os integrantes escolheram em 6 diferentes dimensões, 10 subtarefas sequenciais. Somente essa parte já consumiu grande energia, por lidar com a nova perspectiva, tarefas sequenciais e  totalizar 60 subtarefas. Também nessa atividade o grupo aprendeu a lidar com o Diagrama de Atividade. onde modelou 10 tarefas sequenciais, com estado inicial, uma barra de sincronização, um ponto de controle e três estados finais.


O conceito de modelagem de processos é  empregado em softwares BPM (modelagem de processos de negócios) muito empregados pela administração, gestão de qualidade e governança de TI (PMbok, COBIT e ITIL) que observam os negócios em perspectiva de processos. A modelagem de processos serve para mapear todas etapas de procedimentos e é o alicerce para construir um gerenciamento eficaz em Unidades de informação.

Software de Modelagem  BonitaBPM  (Open Source)

Fonte: Pedro Junqueira, Canal no  Youtube


Atividade 3 – Direitos Autorais e Propriedade Intelectual na Web e Unidades de Informação
 Imagem 3 – Propriedade Intelectual.
Izabel

Fonte: Câmara de Comércio Americana do Rio de Janeiro (2015).

   Nesta atividade o grupo lidou com as questões legais do Direito Autoral, Propriedade Intelectual considerando os interesses dos associados de uma Unidade de Informação. Uma questão que divide opiniões com o surgimento de novos conteúdos e fontes na Internet. Sob a perspectiva de defender os interesses de todos, essa 3ª atividade levou o grupo a considerar as possibilidades de atender as demandas da unidade de informação cumprindo a lei e incentivando o emprego de licenciamento Creative Commons, fontes de pesquisa de acesso aberto, o software livre e os meios de Recursos Educacionais Abertos.

Atividade Final – Apresentação

  Na atividade final o grupo emprega todos os recursos conhecidos até a 3ª etapa: Modelagem de Setores e Subsetores Informacionais subdividindo em sete  sub-sistemas, Diagramas de Casos de Uso e Diagramas de Atividades. O grupo adotou a Gestão da Sala de Videoconferência, nessa atividade podemos entender a complexidade de uma agenda, que só pode ser elaborada  quando duas instituições ou mais, de lugares diferentes, estabelecendo a comunicação por meio de recursos tecnológicos e pessoal qualificado.

Grupo

 Seguindo a interação ainda por meio do Hangouts e Google Drive, nesta etapa sentimos o cansaço da 5ª fase. Eu, Leonardo, apresentei sugestões, auxiliando no desenvolvimento das atividades. Ariane teve dificuldades com o Violet. Izabel, apesar de problemas técnicos, se manteve prestativa. Jackson se esforçou para responder as questões. Tatiane auxiliou a equipe sempre que possível.

REFERÊNCIAS

JUNQUEIRA, Pedro. Modelagem de Processos com BonitaSoft  TUTORIAL. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=bpj8HK60xYk&w=854&&gt;. Acesso em: 30 maio 2016.

CÂMARA DE COMÉRCIO AMERICANA DO RIO DE JANEIRO. Rio será sede do Congresso Mundial da AIPPI. [Rio de Janeiro?], 7 out. 2015. Disponível em: <http://www.amchamrio.com.br/site-noticia?noticiaSite.id=831>. Acesso em: 30 maio 2016.

DREAMSTIME. Disponível em: <http://www.dreamstime.com>. Acesso em: 30 maio 2016.

PICHILIANI, Mauro. Experimento com desenvolvedores Android, Blog do Mauro Pichiliani. [S.l.], 5 maio 2014. Disponível em: <http://pichiliani.com.br/2014/11/experimento-com-desenvolvedores-android/>. Acesso em: 7 maio 2016.

Grupo 4 – Leonardo

Direitos Autorais e Propriedade Intelectual na Web e Unidades de Informação

001-flexibilidade-de-licencas-autorais
Fonte: outrosroteiros.wordpress.com

Publicação referente a Atividade para o dia 1º de Junho de 2016.

 

creative_commons_imagens
Fonte: outrosroteiros.wordpress.com
Atividade 1

 Como os Direitos Autorais e a Propriedade Intelectual na WEB impactam no planejamento de uma Unidade de Informação?

Responda a esta questão apresentando exemplos de políticas que, na sua opinião, uma U.I. deveria implementar para lidar com estas questões.

 

O planejamento de uma UI, considerando um cenário  de biblioteca pública sem recursos financeiros.

 

No sentido de desenvolvimento de política que preserve os direitos autorais e a propriedade intelectual, considerando também as necessidades de seus clientes leitores, pesquisadores e estudantes, é razoável observar os seguintes aspectos:

 

    • Fomentar a utilização de Recursos Educacionais Abertos (REA);

 

 

 

Fonte: www.rea.net.br/site/
repositc3b3rios-institucionais
Fonte: biblioo.info

 

 

  • Empregar na biblioteca sistemas com utilização exclusiva de software livre, ficando dentro do lei, economizando e incentivando as pessoas para o domínio das tecnologias de baixo investimento (apenas o tempo e a boa vontade);
Softwares
Fonte: http://www.google.com

 

  •  Desenvolvimento de oficinas para difundir o uso das tecnologias de aprendizagem abertos e gratuitos:

 

Khan academy

Também deverá promover campanhas internas de conscientização sobre direito autoral, propriedade intelectual, consequências de descuidos e principalmente campanha para utilização de licenças  88x31  para produção de conteúdos abertos.
 
Atividade 2

 Instalação e Avaliação dos Software Biblibre e PHL

Biblivre 4

biblivre2010
A Instalação do Biblivre4 é simples, depois de instalado o acesso é via navegador web, trabalha em rede, possui uma GUI agradável. O cadastro de usuários, livros e fornecedores pode ser mais completo ou simples, o resultado de pesquisa é rápido. O empréstimo é pratico para ser feito, na mesma tela, se pesquisa o exemplar, o leitor, e se faz o empréstimo. A cotação depende de uma requisição prévia para compra, a definição de multa e prazos é fácil de fazer, o sistema não emite carteira com layout mas etiquetas com código de barras para adicionar na carteira que deve ser impressa fora do sistema.

Captura de tela de 2016-05-31 22-45-01
Fonte: Autor

 

Captura de tela de 2016-05-31 22-55-03
Fonte Autor

 


PHL 83 - Personal Home Library
índice
Fonte: http://www.elysio.com.br
 
A Instalação do PHL 83 é bem rápida, o acesso é também via navegador web, o software não trabalha em rede na versão gratuita, sua GUI  é limitada e desatualizada. O cadastro de usuários e fornecedores  é feito pelo menu entradas /  usuários e / fornecedores e de livros entrada catálogo O resultado de pesquisa é rápido. O empréstimo, reserva e renovação não é pratico, para ser feito é necessário o nr do tombo via menu circulação. Não dispõe de pesquisa na mesma tela, tornando mais lentos os procedimentos. A exportação pode ser realizada facilmente em diferentes formatos incluindo-se CSV, XML e ISO2709, a importação pode ser realizada em 3 formatos, PHL, MARC e RIS.

Atividade 3
Diagrama de Atividades: Empréstimo de Exemplares (arquivo)
 Diagrama de Atividades

 

 

Grupo 4 – Leonardo

Publicação referente a atividade para o dia 25 Maio de 2016.

Atividades e Subtarefas

Tree.png
Fonte: http://www.dreamstime.com

Para cada uma das dimensões abaixo, identificar uma tarefa relacionada numa U.I. e dividi-la em, no mínimo, 10 subtarefas sequenciais:

  • Software / Aplicações

    Softwares.png
    Fonte: pt;slidsuare.com
  • Sistema de Gerenciamento de Biblioteca / Pesquisa Bibliográfica / Reserva de Exemplar (Suporte físico):

1. Acessar Url do site da biblioteca;

2. Logar no site com ID e senha;

3. Clicar no menu pesquisa;

4. Dar entrada com texto para pesquisa por título / autoridade ou assunto;

5. Clicar em pesquisar;

6. Refinar resultados de pesquisa;

7. Selecionar exemplar de interesse;

8. Exibir detalhes do exemplar;

9. Fazer reserva de exemplar;

10. Buscar exemplar na Biblioteca.

  • Hardware / Equipamentos

    cisco_wap321_01
    Fonte: cdn-reichelt.de
  •  Verificação do Roteador de Rede sem fio:

1. Ligar roteador;

2. Aguardar a inicialização do equipamento;

3. Verificar o status dos leds WAN e WIFI;

4. Adicionar conexão para teste:

5. Selecionar Wpa2 (criptografia);

6. Digitar a senha;

7. Testar conexão;

8. Se não navega reiniciar equipamento;

9. Repetir teste em outro dispositivo para acesso;

10. Efetivar conexão em outros dispositivos.

  • Dados / Armazenamento

    sftp
    Fonte: hostname.cl

  Rotina diária de Backup no Sistema de Gerenciamento de Biblioteca

1. Logar-se no SGB com login de administrador;

2. Ir no menu Administração;

3. Clicar em Manutenção;

4. Clicar no botão Gerar cópia completa;

5. Clicar no link abaixo do botão;

6. Verificar a conclusão do download do arquivo;

7. Mover arquivo para pasta backup;

8. Copiar arquivo para HD externo;

9. Copiar arquivo para Google Drive;

10. Realizar teste de restauração.

1. Demonstrar ao Auxiliar os passos no sistema;

2. Logar-se no SGB com login e senha;

3. Clicar no menu Circulação;

4. Clicar em Empréstimos / Devoluções;;

5. Pesquisar Leitor;

6. Selecionar Leitor;

7. Pesquisar Exemplar;

8. Selecionar Exemplar;

9. Clicar em Emprestar;

10. Informar data de devolução ao Leitor.

  • Atendimento / Interface com o Usuário:

    meninas300f
    Fonte: fontesgerais.blogspot.com
  • Atendimento no Serviço de Referência/Pesquisa

1. Receber o pesquisador no setor;

2. Coletar informações sobre o tema da pesquisa;

3. Identificar assuntos;

4. Demonstrar pesquisa no terminal do SGB;

5. Selecionar obras de interesse;

6. Demonstrar pesquisa em bases de acesso aberto;

7. Selecionar artigos de interesse;

8. Demonstrar recursos para referência;

9. Demonstrar pesquisa no Google Acadêmico;

10.Orientar a seleção dos resultados para o pesquisador.

1. Observar todo perímetro de circulação de pessoas na UI;

2. Verificar a existência de degraus;

3. Verificar a existência de rampas;

4. Observar a altura dos corrimões no banheiros;

5. Verificar a altura sanitário;

6. Verificar a largura de corredores;

7. Verificar a largura de portas;

8. Verificar altura de mesas de leitura;

9. Verificar altura de terminais de acesso;

10.Verificar a largura e altura de estantes.

Atividade 2: Escolha uma das tarefas produzidas na Atividade 1 e mostre o fluxo interno de suas subtarefas por meio de um Diagrama de Atividades. Este diagrama deverá conter:

No mínimo 10 tarefas/atividades, 1 ponto de controle, 1 barra de sincronização e 3 estados finais.

Diagrama de Atividades

Grupo 4 – Leonardo

Publicação referente a atividade para o dia 11 Maio de 2016.

Planejamento de Testes de Usabilidade

ux-wheel
Fonte: bibliotecariovirtual.worpress.com

Funcionalidades para testar a usabilidade:

  • Cotar itens com fornecedores

  • Adquirir Obra

  • Divulgar Notícias Recentes da U.I.

  • Cadastrar Obra no Acervo

  • Emprestar Item

O propósito do teste

O objetivo de aplicação do teste de usabilidade é verificar nas 5 funcionalidades qual o desempenho do Sistema de Automação de Biblioteca, Biblivre e do Sistema Gerenciador de Conteúdo (CMS) Joomla. Buscando observar  a confiabilidade, acessibilidade, visibilidade de status do sistema, a consistência, a prevenção de erros, a flexibilidade e eficiência, Estética e design, o diagnostico de erros e a documentação

 

 A equipe interna envolvida

  • Chefe do Setor de  Gestão de TI – Analista de resultados
  • Técnicos de TI – Monitoramento e analise
  • Bibliotecário  – Aplicador de testes

 

A configuração do ambiente de teste

Laboratório com dois ambientes, dispondo com sala de testes com recursos de gravação, da tela, da face do usuário e com recursos do Eye tracking.

usability1
Fonte: http://www.port.ac.uk

 

Sala reservada para monitoramento dos testes (técnicos de analise).

how-to-build-a-usability-lab
Fonte: hubspot.net

 

Sala de aplicação de testes para usuário e aplicador.

lab2bphoto2bfor2bblog
Fonte: googleforstudents.blogspot.com.br

Os usuários selecionados

  • Bibliotecário equipe de licitações – Usuário do modulo compras do Sistema de Automação de Biblioteca (SAB);
  • Técnico de TI responsável pelo Site da UI – Usuário do Gerenciador de Conteúdo do WebSite (CMS Joomla);
  • Bibliotecário Processamento Técnico –  Usuário do modulo cadastramento de obras do SAB; e
  • Auxiliar de Biblioteca – Usuário do modulo empréstimo do SAB.

 

Critérios e métricas de usabilidade

tabela
Fonte: Produção do Autor

 

As funcionalidades escolhidas e como elas deverão ser executadas no sistema

Para todos procedimentos com o Biblivre 4.0 o usuário deverá logar-se no sistema com seu usuário e senha.

Cotação de Itens:

O usuário irá cadastrar as cotações recebidas pelos fornecedores no Biblivre: Menu Aquisições/Cotações.

Captura de tela de 2016-05-11 04-37-24
Fonte: Manual do Biblivre

  E procederá o preenchimento dos campos.

Cotacao2
Fonte: Manual do Biblivre

Adquirir Obra:

O usuário irá realizar pesquisa de preço nas cotações dos diferentes fornecedores cadastradas no sistema: Menu Aquisições/Pedidos.

Pedido1
Fonte: Manual do Biblivre

O usuário irá realizar pesquisa e a seleção de pedidos já solicitados anteriormente.

pedido2
Fonte: Manual do Biblivre

O usuário irá detalhar os pedidos e selecioná-los para aquisição.

pedido3
Fonte: Manual do Biblivre

 

Cadastrar Obra no Acervo:

O usuário irá cadastrar obra pelo menu Catalogação/Bibliográfica, preencherá os campos e finalizará clicando em Salvar.

Catalogação
Fonte: Manual do Biblivre

.

Emprestar Item:

O usuário por meio do menu Circulação/ Empréstimos e Devoluções fará a pesquisa do Leitor e do Exemplar, fará a seleção dos mesmos e finalizará clicando no botão Emprestar.

Emprestimo
Fonte: Manual do Biblivre

REFERÊNCIAS

Palestra UFBA: Arquitetura de informação e UX. Disponível em: <https://bibliotecariovirtual.wordpress.com/2012/11/08/palestra-ufba-arquitetura-de-informacao-e-ux/> Acesso em: 09 mai. 2016.

As 10 heurísticas de usabilidade do Nielsen. Disponível em: <http://www.tidbits.com.br/as-10-heuristicas-de-usabilidade-do-nielsen> Acesso em: 10 mai. 2016.

ANDRADE, Antonio Luiz Lordelo. Usabilidade de interfaces Web: Avaliação heurística no jornalismo on-line. Rio de Janeiro: E-papers, 2007.