Grupo 1 – Denian

Ferramentas Colaborativas
Etapa 4 – Atividade 3, 15 Jun. 2016.

Denian de Melo Valente

Com crescente número de informações nos mais variados e específicos campos do conhecimento, o aumento da disseminação de notícias e a velocidade com que estas vêm de encontro ao público, cria-se uma necessidade de disponibilizar a informação de forma a transcender os limites físicos e geográficos, e as unidades de informação tendem a trabalhar para que isto seja uma realidade em todos os segmentos do seu público. Felizmente, há mecanismos disponíveis em ferramentas usadas em massa e de forma circular, onde as informações são geradas e disponibilizadas para diversos usuários de uma só vez, havendo a possibilidade de essas informações serem absorvidas, processadas e unificadas à novas informações, dando continuidade ao processo de disseminação do conhecimento. 
As unidades de informação, ao aprimorar seus serviços às novas plataformas de uso de informação, podem usufruir das tecnologias de comunicação como redes sociais. Um exemplo para estes serviços é o vínculo de um blog alimentado com uma periodicidade semanal, contendo informações relevantes às áreas da ciência e do entretenimento, hospedado gratuitamente em uma plataforma como WordPress, Blogger, Tumblr, etc – com o Twitter, onde as informações podem ser fácil e resumidamente disseminadas dentro de 140 caracteres, desta forma, o usuário pode ganhar tempo, tendo a possibilidade de avaliar a relevância do conteúdo para o seu conhecimento com uma breve leitura. Além de ser uma ferramenta de fácil comunicação, troca e compartilhamento de informação e atendimento ao público.

Unidades de informação de acesso privado podem inovar seus serviços com estas ferramentas de suporte de blogs e websites de comunicação social como forma de disseminação de serviços no mercado para novas unidades de informação ou unidades de informação em formação ou crescimento, seja em qualquer segmento, público ou privado.Um exemplo seria a venda de serviços de informatização de unidades de informação, onde uma equipe de cientistas publica semanalmente as informações relevantes sobre os recursos e as novidades de mercado, com base em estudos na literatura anteriormente publicada, sobre os recursos tecnológicos, recursos humanos, funcionalidades essenciais, etc., em um blog, e a partir da leitura e do interesse de novas instituições na informação sobre estruturas de unidades de informação, estes profissionais vendem cursos e capacitações presenciais para as novas unidades de informação. Desta forma, o blog e as mídias sociais podem servir como intermédios para os serviços de colaboração, e a partir dos serviços prestados, dar suporte aos clientes e os manter atualizados sobre tendências de mercado e formas de implementação de recursos nas unidades de informação.

Continuar lendo Grupo 1 – Denian

Grupo 1 – Denian

Etapa 4 – Atividade 2, 08 Jun. 2016. 
Denian de Melo Valente

Atividade 1: Segurança da Informação

Crimes cibernéticos e segurança da informação

Os crimes cibernéticos são ataques feitos de indivíduos contra indivíduos, através de redes de Internet e redes de computadores. Os mais variados crimes podem ser cometidos e a prática criminosa geralmente tem como suporte programas e aplicativos, conhecidos como Malwares, palavra derivada da junção de Malicious Software. Os malwares, que podem ser vírus, boots, worms, keyloggers, dentre outros, são distribuídos e instalados sem a permissão do alvo do crime.

greenbone_comic_cybercrime_1521x2000_transparentEstes programas possuem a capacidade de se infiltrarem nas máquinas de pessoas e empresas, alojando-se em outros programas de forma sorrateira ou até mesmo atuando individualmente, e, assim, podem monitorar, copiar, controlar e alterar dados e informações, colocando a segurança das informações pessoais e sigilosas em risco. Um exemplo dos mais clássicos crimes cibernéticos é o roubo de senhas de banco.
Devido ao grande número de ataques registrados, faz-se cada vez mais necessário que as instituições e pessoas invistam na segurança de suas informações e, consequentemente, na sua segurança.


Segurança da Informação

Segurança-da-informação.png
Dentre os diversos modelos de sistemas de identificação, sejam por cartões magnéticos, nomes, senhas, objetos, o mais adequado, seguro e confiável é o modelo biométrico, que se baseia em dados físicos do usuário para o reconhecimento e liberação de acesso. Este procedimento pode ser feito através de leitura de retina, impressões digitais, reconhecimento de voz, geometria da mão, etc. Diferentemente de cartões magnéticos e senhas que podem ser facilmente copiados, o reconhecimento biométrico é o método mais seguro, pois se baseia naquilo que o indivíduo unicamente é.
Outro método bastante conhecido de segurança da informação é a criptografia, que representa transformar a informação em uma forma ilegível, para ocultar informações de pessoas não autorizadas garantindo a privacidade.


Uma política adequada de segurança de informação para uma unidade de informação deve conter os seguintes critérios:


Segurança física:

  • Estar dentro das normas de segurança civil e elétrica;
  • estar equipada com câmeras de alta resolução;
  • ter portas de acesso com cartão magnético nos ambientes administrativos;
  • controlar de entrada e saída de materiais magnetizados através do equipamento de segurança automático;
  • ter equipe capacitada para não haver lacunas e pontos vulneráveis na segurança da instituição e dos usuários;
  • investir em equipamentos atualizados de segurança.

Segurança lógica:

  • Possuir antivírus constantemente atualizado e em monitoramento;
  • possuir firewall para análise de dados externos e internos da rede;
  • criptografar senhas de acesso interno aos recursos da unidade de informação;
  • controle de acesso por identificação biométrica;
  • disponibilizar acesso via VPN.

Continuar lendo Grupo 1 – Denian

Grupo 1 – Denian – Líder da etapa 3

Post referente à etapa 3 do projeto de informatização – Denian de Melo Valente – Líder da etapa – 01/06/2016

 

bannercc.fw_

Fonte:http://ibc.com.br/site/wp-content/uploads/2011/07/bannercc.fw_.png

 

Atividade 1 –

Modelagem de setores e subsetores informacionais

Setor definido: Oferta de Cursos de Capacitação

Subsistemas

1- Estruturar o curso
2- Produzir material didático
3- Contratar capacitador
4- Organizar
5- Divulgar
6- Definir agenda
7- Abrir inscrições

 

Atividade 2 – Diagrama de Sistemas e Sub Sistemas

s

Melhor visto:

Diagrama Sistemas-Subsistemas_01_06_2016_PDF

Fonte: Grupo 01

Atividade 02

Definir  atores,  funcionalidades essenciais e funcionalidades desejáveis

IMG000000000008643

 

Fonte: http://adcon.rn.gov.br/ACERVO/cefope/IMG/IMG000000000008643.PNG

Atores:
1- Diretor do setor de capacitação

2- Planejador de programa do curso
3- Capacitador do curso
4- Estagiário
5- Usuário/interessado

Funcionalidades essenciais:
01- Apontar necessidade/sugestões
02- Buscar/ analisar sugestões
03- Definir curso
04- Abrir inscrições
05- Fazer inscrições
06- Divulgar curso
07- Organizar agenda
08- Ministrar cursos
09- Definir material didático
10- Disponibilizar apostila
11- Criar programa de conteúdo
12- Gerar certificado

Funcionalidades desejáveis:
1- Gravar cursos para disponibilização online
2- Elaboração de tutoriais e manuais
3- Acessibilidade para alunos portadores de deficiência
4- Oferecer coffee break
5- Possibilidade de participação por acesso remoto

Diagrama de Casos de Uso: Cursos de Capacitação
Caso de uso capacitação

Melhor visto: https://drive.google.com/file/d/0B4hVpiOHZsumTkl6bGhuZFQ3LTQ/view

Fonte : Grupo 01

 

cursos-ism-br

Fonte:http://www.sinpojud.org.br/UserFiles/Image/cursos-ism-br.jpg

Atividade 3 – Diagrama de Atividades

Funcionalidade essencial: Gerar certificados
Subtarefas:

1– Entrar no site da UI
2– Ir na opção Cursos
3– Ir no Cursos de Capacitação
4– Clicar em Certificados
5– Digitar CPF ou Email
6– Digitar senha
7– Clicar em Enviar
8– Procurar o curso concluído
9– Clicar em Gerar certificado
10– Conferir dados
11– Clicar em Arquivo
12– Clicar em Imprimir
13– Editar propriedades impressão
14– Clicar em Ok
15– Fazer Logoff

Diagrama de Atividades:


da

Fonte: Grupo 01

Melhor visto: caso-de-uso-capacitac3a7c3a3o.png

451995787-600x400prof

Fonte:http://www.feac.org.br/wp-content/uploads/2014/08/451995787-600×400.jpg

Relatório do líder da etapa 3 do projeto de informatização

As atividades da etapa 3 do projeto de informatização foram divididas igualmente para cada membro do grupo 1. As maiores dificuldades encontradas nesta etapa se deram devido aos contratempos do período de feriado em que alguns dos membros do grupo viajaram para outras cidades e no período de ausência a comunicação ficou comprometida, contudo, ao término deste período, retomando as atividades, o grupo dedicou seus esforços conjuntamente e através de um documento criado com a ferramenta Google Docs, o trabalho foi sendo estruturado e a comunicação via WhatsApp foi um ponto forte na recuperação da comunicação entre o grupo.

Com o auxílio e atendimento extraclasse da docência da disciplina, algumas duvidas pontuais foram esclarecidas, possibilitando, assim, a continuidade do desenvolvimento desta etapa do projeto de informatização.

Grupo 1 – Denian

Post referente às atividades do dia 18 de Maio – Denian de Melo Valente

Software/Aplicações
Tarefa: avaliar material para desbaste

  1. Consultar política de desenvolvimento de coleções;
  2. pesquisar pelo registro do livro;
  3. avaliar estado físico do livro;
  4. consultar data de aquisição;
  5. consultar última data de empréstimo;
  6. consultar número de exemplares no acervo;
  7. consultar bibliografias dos cursos;
  8. consultar disponibilidade do material no mercado;
  9. consultar edições anteriores e posteriores;
  10. dar descarte do material.

Hardware/Equipamentos
Tarefa: imprimir negativas de débito

  1. Abrir aba de pagamento no software;
  2. inserir matrícula do usuário;
  3. confirmar usuário;
  4. conferir o valor a ser pago;
  5. dar baixa na multa;
  6. preparar declaração para impressão;
  7. imprimir declaração de negativa de débitos;
  8. carimbar declaração;
  9. assinar declaração;
  10. entregar declaração ao usuário.

Dados/Armazenamento
Tarefa: Preparar teses e dissertações para o acervo

  1. Receber teses e dissertações;
  2. separar por centro de ensino;
  3. encaminhar para o tratamento técnico;
  4. catalogar;
  5. classificar;
  6. indexar;
  7. registrar no software;
  8. imprimir etiqueta;
  9. encaminhar para o setor de circulação;
  10. disponibilizar nas estantes.

Recursos Humanos/Atores
Tarefa: Limpar unidade de informação

  1. Preparar produtos de limpeza;
  2. varrer o chão;
  3. recolher o lixo;
  4. repor sacos plásticos nas lixeiras;
  5. passar pano no chão;
  6. tirar o pó das estantes;
  7. limpar vidros;
  8. lavar tapetes e cortinas;
  9. limpar material usado na limpeza;
  10. guardar material de limpeza.

Atendimento/Interface com o usuário
Tarefa: Consultar obras raras

  1. Receber demanda do usuário;
  2. pesquisar obra no acervo;
  3. inserir título no campo de pesquisa;
  4. verificar situação de acervo;
  5. verificar setor do acervo;
  6. anotar número de chamada;
  7. colocar luvas;
  8. colocar máscara;
  9. pegar o material na estante;
  10. disponibilizar material para o usuário consultar.

Acessbilidade
Tarefa: converter livros em audiobooks

  1. Definir obras relevantes para a comunidade deficiente;
  2. separar obras para serem gravadas;
  3. avaliar dicção dos leitores;
  4. selecionar leitor para gravar;
  5. definir cronograma de gravação;
  6. ligar equipamento de gravação;
  7. gravar leitura dos livros;
  8. mixar áudio;
  9. gravar audiolivros em CDs;
  10. disponibilizar audiolivros no acervo.

 

Diagrama de atividades
Avaliar material para desbaste

deniandiagrama1

Grupo 1 – Denian

Post referente à atividade do dia 04 de Maio – Denian de Melo Valente

As funcionalidades escolhidas:

  • Adquirir Obra
  • Cadastrar Obra no Acervo
  • Catalogar Obra
  • Gerar Carteirinha de Usuários
  • Emprestar Itens

O propósito do teste será testar os serviços de empréstimo de materiais da unidade de informação de uma instituição de ensino superior, a partir de sua aquisição, tratamento para circulação e a disponibilização nas estantes.
A equipe interna envolvida na aplicação do teste será formada por um bibliotecário do setor de aquisição, um bibliotecário do processamento técnico e um bibliotecário da circulação.
O ambiente de teste será uma sala com três computadores para os bibliotecários dos três setores da equipe interna que trabalharão para três etapas: tratamento da informação, pesquisa da obra no catálogo e a criação de carteirinhas de usuários e  empréstimos.
Os usuários selecionados serão alunos dos cursos da instituição.

Critérios e métricas de usabilidade (Pergamum)
                                                                                   Sim                                                   Não
Permite Instalação em mais de uma máquina?    
Permite acesso simultâneo aos usuários?    
Permite acesso via internet?    
Utiliza o formato MARC21?    
Permite a integração das funções da biblioteca?    
Permite a leitura de código de barras?    
Gera etiquetas com código de barras?    
Gera etiquetas para a lombada?    
Permite a realização de um cadastro de perfis de usuários?    
Possibilita a pesquisa sobre o status do documento?    
Permite a realização de empréstimo, renovação e reserva on-line?    
Possibilita a busca a partir dos resultados (refinamento de busca)?    
Possui uma interface de busca avançada?    
Possui uma interface de busca simples (busca em todos os campos)?    
Possibilita limpar o formulário para nova pesquisa?    
Apresenta falhas com frequência?    
Restaura o processamento a partir da falha?    
É fácil de entender o conceito da aplicação?    
É fácil de aprender a usar?    
Possui documentação (manuais)?    
O tempo de resposta é satisfatório?    

 

Execução das funcionalidades:

  • Adquirir Obra
    O bibliotecário deverá adquirir as obras a partir das bibliografias dos cursos e sugestões dos usuários, respeitando a política de desenvolvimento de coleções da unidade de informação.
  • Cadastrar Obra no Acervo
    A execução desta tarefa será feita com o suporte do software de automação.
  • Catalogar Obra
    Será feita pelos bibliotecários do processamento técnico no software Pergamum, preenchendo os campos do MARC21.
  • Gerar Carteirinha de Usuários
    O bibliotecário de atendimento coletará informações dos usuários, que deverão apresentar atestado de matrícula e documento com foto, para preenchimento dos dados no Pergamum.
  • Emprestar Itens
    O empréstimo de itens será feito através do Pergamum, onde o usuário irá digitar o número de matrícula para em seguida o bibliotecário ler o código de barras do item e, por fim, o usuário irá digitar sua senha de cadastro, validando seu empréstimo por quinze dias.

Etapas detalhadas do teste      

  • Integrar os computadores na mesma rede;
  • Adquirir Itens;
  • Processar os materiais tecnicamente no computador 1;
  • Efetuar a consulta no acervo no computador 2;
  • Registrar o tempo de recuperação do número de chamada;
  • Registrar o tempo de localização do material na estante;
  • Emprestar no computado 3;
  • Inserir matrícula do usuário;
  • Ler exemplar a ser emprestado;
  • Digitar senha de usuário;
  • Confirmar empréstimo;
  • Registrar satisfação do usuário com o atendimento da U.I.

Grupo 1 – Denian

Post referente à atividade do dia 04 de Maio.

ATIVIDADE 1
SETOR DE AQUISIÇÃO

ATORES
1 – Bibliotecário: aquisição de livros físicos;
2 – Bibliotecário: aquisição de mídias digitais/periódicos;
3 – Editoras nacionais parceiras da unidade de informação;
4 – Doadores;
5 – Alunos;
6 – Professores;
7 – Servidores;
8 – Transportadores.

FUNCIONALIDADES ESSENCIAIS
1 – Elaborar política de desenvolvimento de coleções;
2 – Gerar demanda;
3 – Receber pedidos de usuários;
4 – Analisar estatísticas de busca por títulos que não fazem parte do acervo;
5 – Verificar exemplares existentes no acervo;
6 – Fazer orçamentos;
7 – Pesquisar edições atualizadas
8 – Estudar a relevância da obra a ser adquirida;
9 – Conhecer o teor do assunto;
10 – Adquirir obra.

 

CENÁRIO FICTÍCIO DA UNIDADE DE INFORMAÇÃO
O cenário fictício defino é uma biblioteca universitária de uma instituição federal. Os atores desse setor são bibliotecários responsáveis por aquisição de livros físicos, digitais e assinaturas de bases de dados de periódicos científicos das áreas das ciências humanas, ciências tecnológicas, ciências naturais e exatas e ciências da saúde. Os profissionais recebem as demandas através de pedidos das coordenadorias dos cursos, juntamente com os professores que elaboram a bibliografia básica e complementar para os programas das disciplinas, além de sugestão de aquisição por parte da comunidade dos usuários (alunos, alunos de outras instituições, pessoas da comunidade, servidores etc.) que podem utilizar o formulário no portal da biblioteca.
A partir da demanda, os bibliotecários usam a política de desenvolvimento de coleções, que pré-estabelece os processos de avaliação de aquisição e demanda e seus critérios como auxílio na hora de aceitar doações ou adquirir materiais das editoras ou livrarias. Os critérios mais utilizados são: se consta no plano de ensino dos cursos, se a procura pelo título é frequente, se é relevante e atualizado. No caso de doações, a parte física e de conservação do material também é avaliada e, se o exemplar está danificado, roído por traças ou bastante riscado, perde o seu valor de interesse para a unidade de informação. Todavia, considera-se a relevância dos títulos fora de circulação no mercado e obras raras, que são submetidos ao setor de restauração. As informações sobre os títulos a serem doados são enviadas por um formulário.

MODELO DE SISTEMAS-SUBSISTEMAS
Sistemas e subsistemas

ATIVIDADE 2 – DIAGRAMA DE CASOS DE USO

Setor de aquisição - Diagrama de caso de uso

Grupo 1 – Denian

Post referente a atividade do dia 27/04

ATIVIDADE 1
Recuros de Software / Aplicações

Automação (Pergamum): tratamento da informação, consulta do acervo, emprestar, devolver, reservar materiais, etc.
Editor de imagens e vetoriais (Corel Draw, Photoshop): criação de folders e flyers de divulgação de novas aquisições, atividades culturais e exposições, panfletos e guias explicativos etc.
Pacote de software de escritório (Office, LibreOffice): gerenciador de dados e informações, planilhas para dados estatísticos, editores de texto para auxiliar nos tramites da unidade de informação.
Navegadores de internet (Google Chrome, Mozilla Firefox)
: acessar e-mails, efetuar consultas externas ao acervo, pesquisar em bases de dados, etc.
Softwares de segurança do sistema: para que a integridade do sistema e dos arquivos não fique comprometida.

Recursos de Hardware / Equipamentos
Microcomputadores para trabalho:
Equipamento de alta capacidade de desempenho, armazenamento e processamento de dados para o tratamento e recuperação da informação.
Terminais de consulta: pesquisa ao acervo e renovação de materiais.
Notebooks: empréstimo local para a comunidade usuária.
Impressoras e scanners: equipamento de impressão e cópia de materiais do acervo.
Datashow: para palestras, capacitações e videoconferências.

Recursos de Dados / Armazenamento
Servidores para bancos de dados:
armazenar todos os arquivos e documentos geridos pela unidade de informação em um único local.
Arquivos correntes: guarda de materiais físicos de cunho administrativo.
Bases de Dados de periódicos: portal de periódicos com assinaturas de revistas científicas nacionais e internacionais.
Repositório de Teses, Dissertações e Monografias de Graduação: armazenar as produções científicas da comunidade acadêmica com acesso mais democrático.
Repositório para obras raras: recuperação de informação e materiais de obras raras em um repositório institucional, acesso à revistas e jornais antigos, livros fora de circulação no mercado etc.

Recursos Humanos / Atores
Bibliotecário: atendimento:
Cadastrar, capacitar, pesquisar e localizar material, informar, etc.
Bibliotecário: processamento técnico: tratar da informação. Indexar, catalogar, classificar.
Bibliotecário: aquisição: responsável pelo crescimento e desbaste do acervo.
Bibliotecário: direção e administração: tomada de decisões e desempenho do papel administrativo, não dispensando a participação dos colaboradores internos.
Comunidade usuária: comunidade para gerar demandas de serviços e produtos na unidade de informação.

Recursos de atendimento / Interface
Interface de busca no acervo:
mecanismo de busca com interface simples e avançada e filtros para maior precisão na recuperação de informação.
Capacitação em bases de dados: para operações de busca em bases de dados, como operadores booleanos e filtros.
Tutoriais de uso da unidade de informação: folders explicativos e objetivos sobre a classificação de assuntos e uso do acervo.
Visitas orientadas: o profissional orienta a comunidade ingressante sobre os serviços e uso de recursos da unidade de informação.
Autoatendimento: para maior autonomia do usuário, que poderá efetuar o empréstimo e devolução de forma mais independente.

Recursos de acessibilidade
Estantes baixas para cadeirantes:
para alcançar o livro na parte superior da estante.
Rampas de acesso: facilitar a entrada do usuário com deficiência física.
Pisos táteis: para usuário com deficiência visual.
Audiolivros/Livros em braile: recursos informacionais para deficientes visuais.
Elevador: para acesso aos deficientes físicos ou com dificuldade de locomoção.