Ana Carolina Sanches – Grupo 06


Este post é referente a etapa 4 – atividade 3 do dia 15 de junho 2016

1- Como integrar ferramentas colaborativas em sistemas já existentes em Unidades de Informação?

Um sistema colaborativo permite que um grupo de trabalho, mesmo que disperso geograficamente, possa trabalhar em conjunto e comunicar-se de forma efetiva, compartilhando documentos, executando fluxos de trabalho ou processos de negócios. Ocorre a complementação de capacidades, conhecimentos, esforços individuais e a interação entre as pessoas com entendimentos, pontos de vista e habilidades complementares.

Colaborando, os membros  de um grupo têm retorno para identificar, nos primeiros momentos, inconsistências e falhas em seu raciocínio e, de forma, conjunta, podem buscar ideias, informações e referências para auxiliar na resolução dos problemas. O grupo tem maior capacidade de gerar criativamente alternativas, levantar vantagens e desvantagens de uma cada uma, selecionando as viabilidades para tomada de decisões.

Trabalhar em grupo trás motivação para os membros da equipe, pois seu trabalho estará sendo observado, comentado e avaliado por pessoas de uma comunidade da qual eles fazem parte. Ao argumentar com outros integrantes, os participantes trabalham ativamente seus conceitos, raciocinando sobre eles e melhorando-os.

Para apoiar toda essa colaboração em grupos e construir conhecimentos, é necessária a adoção de ferramentas que suportem todo este contexto colaborativo. Essas ferramentas são sistemas colaborativos apoiados sobre a internet.

WHATSAPP

Fonte: <www.tecmundo.com.br480 × 495>

O WhatsApp foi lançado oficialmente em 2009 pelo Yahoo, uma das maiores empresas americanas de serviços para a internet com sede em Santa Clara na Califórnia, Estados Unidos. Atualmente é compatível com todas principais marcas e sistemas operacionais de Smartphones do mundo.

O WhatsApp é visto como uma substituição ao SMS, por ser mais prático e econômico. Em 2014 foi vendido para o Facebook por aproximadamente 16 bilhões de dólares e os fundadores ainda foram introduzidos ao conselho administrativo do Facebook.

Em Janeiro de 2015 o WhatsApp anunciou a possibilidade de usar o software na web, através do navegador do Google Chrome. Entre as funcionalidades está a criação de grupos de contatos, envio de fotos, vídeos, mensagens de vós, emoticons e alterar as mensagens de Status, assim como era possível no MSN Messenger.

CLIPPING

Fonte: <www.pmeportugal.pt802 × 581>

Clipping é o processo de selecionar noticias em jornais, revistas, sites e outros meios de comunicação, geralmente impressos, para resultar num apanhado de recortes sobre assuntos de total interesse de quem coleciona. Pode desenvolver o trabalho de clipagem em redes sociais, blogs, Webjornais, rádio e televisão. No Brasil o termo é difundido como forma de pesquisa contratada sobre determinadas noticias.

2 – Que tipo de serviços inovadores para Unidades de Informação podem ser gerados com este tipo de ferramenta?

Integrar o trabalho de clipagem de noticias de sites e revistas especializadas na área de medicina a Biblioteca Central da Faculdade de Medicina da USP. Através da criação de um grupo no WhatsApp, o nome do grupo será Amigos da Biblioteca de Medicina USP e todos os alunos cadastrados na biblioteca poderam ser adicionados ao grupo e assim receberam os links relacionados, além da troca instantânea de mensagens de texto, vídeos, fotos através de uma conexão a internet.

2

Grupo B.M.USP.

 

 

Referências trabalho do Moisés (etapa 4)

Anúncios

Grupo 06 – Ana Carolina Sanches

Este post é referente a etapa 4 – Atividade 2 do dia 08 de junho 2016.

Crime Cibernético

Crime cibernético

Fonte: <www.provadaordem.com.br700 × 450>

Atividade 1

Informações adulteradas, não-disponíveis, sob o conhecimento de pessoas de má-fé ou concorrentes podem comprometer não apenas a imagem da organização perante terceiros, como também o andamento dos próprios processos organizacionais.

A criação do (PSI), Política de Segurança da Informação um conjunto de princípios que norteiam a gestão de segurança de informações e que deve ser observado pelo corpo técnico, gerencial , usuários internos e usuários externos. A divulgação aos usuários internos e externos à organização é um passo indispensável para que o processo de implementação do (PSI) tenha sucesso. A Política de Segurança da Informação deve ser conhecimento de todos que interagem com a organização e que, direta ou indiretamente, serão afetados por ela. É necessário que fique claro, para todos, as consequências advindas do uso inadequado dos sistemas computacionais e de informações.

A segurança do usuário é o controle de acesso que tem como objetivo proteger equipamentos, aplicativos e divulgações não autorizadas. Os sistemas computacionais não podem ser facilmente controlados com dispositivos físicos como cadeados, alarmes ou guardas de segurança. A proteção computacional deve basear-se nas necessidades de acesso de cada usuário. Medidas para garantir a segurança do usuário é sua identificação e autenticação é feita  por meio de um identificador de usuário (ID) e por uma senha durante o processo de logon no sistema.

Quando o usuário estiver amparado por recomendações técnicas e bom senso, muitos ataques poderão ser evitados. Os criminosos tentam obter lucros da forma mais rápida e fácil possível. Quanto mais se dificulta essa tarefa maior a probabilidade de que eles desistam do crime e passem para um alvo mais fácil.

  • Manter o computador atualizado com os patches e atualizações mais recentes.
  • Verificar se o computador está configurado com segurança.
  • Escolher senhas complexas e não divulgar.
  • Proteger o computador com softwares de segurança.
  • Proteger informações pessoais.
  • ofertas on-line que parecem boas e verdadeiras, normalmente não verdadeiras.
  • Examinar textos bancários e de cartão de crédito.

Atividade 2

Sistemas Biométricos

Biometria

Fonte: <www.tecmundo.com.br424 × 283>

  • Controle Físico

Modo de Identificação:

O usuário apresenta amostra de sua característica biométrica, o sistema compara o template gerado a partir desta amostra com vários registros contidos numa base de templates registrados, selecionando o que corresponde mais aproximadamente à amostra biométrica fornecida, o indivíduo é identificado entre os registros.

Modo de Verificação:

O usuário apresenta sua característica biométrica  , o sistema compara o template gerado a partir desta amostra com o que foi registrado anteriormente  para determinar se o mesmo pertence ou não ao usuário.

Controle Lógico

Criptografia:

criptografia

Fonte: <www.inovacaotecnologica.com.br250 × 187>

A ferramenta importante no contexto de segurança no meio digital é a criptografia. Diferente de outros procedimentos usados para segurança de dados, os cripto-sistemas se mostram mais completos, proporcionando alto nível de segurança. A criptologia tem lançado mão de um arsenal de ferramentas matemáticas com destaque para teoria dos números proporcionando proteção flexível e eficiente dos dados digitais.

 

Referências:

Referências etapa 4 (professor Moisés).

 

Ana Carolina Sanches – Grupo 06

Este post é eferente a etapa 4 – Atividade 1 – 01/06/2016

Portais na WEB

Imagem portal web.

Fonte: <www.pontoweb.pt584 × 457Pesquisa por imagem>

Atividade 1

Portais educacionais: Estrutura e Objetivos.

Um portal educacional deve ter capacidade de orientar a aprendizagem, oferecendo ferramentas de estudos, que englobem a interatividade, a aprendizagem, a navegação e a pesquisa, além de ferramentas de busca eficientes no auxilio a pesquisa contendo textos, livros, imagens e conteúdos de multimídia. E ainda facilitar a interação entre alunos e professores, viabilizando o acesso e a permissão de download de materiais distribuídos pelos professores. Deve possibilitar o encaminhamento de exercícios ou trabalhos aos professores através e-mail, para que ele possa dar seu parecer.

Atividade 2

Impressões a respeito do BOOKDB

BOOCKDB 2

Fonte: <softwarebookdb.wordpress.com770 × 200>

Poderia melhorar o layout, as cores são fracas “muito azul”. É possível copiar e colar textos, não possui guias de como usar passo-a-passo para usuários iniciantes. Pesquisas são executadas de maneira limitada.

Impressões a respeito do BIBLIOEXPRESS

BIBLIOEXPRESS

Fonte: <biblioexpress.en.softonic.com601 × 412>

O layout não é satisfatório, a tela é carregada, poderia melhorar o tamanho das fontes (tamanho dos textos). Interface não é intuitiva o que exige mais tempo e atenção dos usuários ao executar tarefas.

Impressões a respeito do MINIBIBLIO 

MINIBIBLIO

Fonte: <www.aleitora.com.br150 × 200>

A tela é limpa (clean), a interface é intuitiva com icons que ajudam na navegabilidade. Apresenta boa inteligibilidade, as tarefas podem ser executas sem grandes dificuldades, como a tarefa de cadastrar usuário.

Cadastro de usuário (Mini Biblio).

 

Fonte do autor.

Impressões a respeito da BIBLIOTECA FÁCIL

Biblioteca-Facil

Fonte: <ultradownloads.com.br765 × 302>

O layout é satisfatório. A interface é intuitiva com os menus principais e links que auxiliam na realização das tarefas, porém para gerar novos modelos de carteirinhas, surgiu mensagem informando erro.

Biblioteca Fácil.

Fonte do autor.

20 razões pela qual um cliente não deveria comprar o software BOOKDB

Não comprar

Fonte: <www.mulhersemphotoshop.com.br560 × 472>

Tabela-BooKDB

20 razões pela qual um cliente não deveria comprar o software da BIBLIOEXPRESS

Tabela-Biblio Express.

2o razões pela qual um cliente deveria comprar o software da MINIBIBLIO

comprar

Fonte: <www.shaniatwain.com.br450 × 122>

Tabela- Mini Biblio.

20 razões pela qual um cliente deveria comprar o software da BIBLIOTECA FÁCIL

tabela- Biblioteca Fácil.

Referências:

CARMO, Josue Geraldo Botura do. Portais Educacionais: Estrutura e objetivos. Fevereiro, 2003. Disponível em: <www.educacaoliteratura.com/index%2089.htm>. Acesso em: 06 de jun. 2016.

DUTRA, Moisés Lima. UsabilidadeFlorianópolis, 2016.

Grupo 06- Ana Carolina Sanches

Este post é referente a etapa 3 da atividade 3 do dia 25/05/2016

Direito autoral

Fonte: <www.youtube.com480 × 360Pesquisa por imagem>

Atividade 1:

Os usuários querem ter acesso as informações em qualquer lugar, qualquer suporte e na hora que desejarem. Se por um lado a grande missão das unidades de informação é prover a informação que sua comunidade usuária necessita, por ouro lado deve fornecer estas informações via meios legais. Combater o plágio ou a pirataria editorial é um dos grandes desafios a serem enfrentados no acesso a informação.

o-plagio-de-textos-dos-blogs

Fonte: <quaseumaassistentesocial.blogspot.com300 × 300>

Devem ser implementadas medidas educativas a longo prazo através de palestras e discussões sobre direitos autorais e pirataria editorial e neste processo de conscientização fazer textos que façam com que os usuários reflitam sobre a cópia ilegal. Sempre que se fornecer ao usuário qualquer material de pesquisa, fornecer também a referência completa do mesmo.

Atividade 2:

Relato do Bibilivre IV

A interface é satisfatória, compreende-se os passos a serem seguidos para a realização de cada tarefa e não larga o usuário mão, pois, clicando em ajuda existe as opções sobre bibilivre IV, perguntas mais frequentes e o próprio manual. Poderia colocar a opção de impressão de carteirinhas já no final do cadastramento de usuário para poupar de ter que voltar na opção de circulação e oferecer outros formatos de carteirinhas.

relato do PHL 8.3

O layout do site é pobre, poderia melhorar as cores e ter uma interface mais intuitiva exigindo menos esforço e tempo do usuário. Também possui seu próprio manual e revisado recentemente. Porém as tarefas podem ser executas sem grandes esforços como a tarefa de importar dados para o registro no formato MARC.

Formato MARC.

Fonte: do autor.

Atividade 3:

Cadastrar usuário no Bibilivre IV:

  1. Abrir página do bibilivre IV.
  2. Fazer login e digitar senha.
  3. Clicar em circulação.
  4. Escolher a opção cadastro de usuário.
  5. Verificar se o usuário já está cadastrado na pesquisa simplificada.
  6. Buscar os termos digitados no campo selecionado ou na pesquisa avançada.
  7. Abrir o cadastro. 7.1 Verificar: Empréstimo, reservas, multas.

[Se não possui cadastro]

8. Clicar na opção Novo usuário.

9. Preencher o campo de cadastro.

9.1 Nome ou matricula, Tipo de usuário, Situação, Foto, E-mail, Genero, Telefone residencial e comercial, Ramal do telefone comercial, Identidade, CPF, Endereço, Número, Complemento, CEP, Cidade, Estado, Observações.

10. Clicar em Salvar.

Diagrama de Atividades: 

Diagrama de Atividade etapa 3

 

 

Referências:

OLIVEIRA, Cristina da Cruz; BOTELHO, Rafael Guimarães. Direitos autorais versus pirataria editorial na universidade: algumas reflexões. DataGramaZero, v. 8, n. 2, p. 0-0, 2007. Disponível em: <http://basessibi.c3sl.ufpr.br/brapci/v/4382&gt;. Acesso em: 29 Jun. 2016.

 

Ana Carolina Sanches – Grupo 06

Este poste é referente a atividade 2 da etapa 3 do dia 18/05/2016

Atividades e Subtarefas

Software/Aplicações

Tarefa: Cadastrar acervo no Pergamum: Sistema Integrado de Bibliotecas.

  1. Preencher dados do acervo no cadastro.
  2. Exemplar:  livros.
  3. Biblioteca:   artigos.
  4. Kardex:  publicações periódicas.
  5. Nenhum: obras que não possuem exemplar.
  6. Clicar no “botão” inserir.
  7. Criar um novo código de acervo.
  8. fazer a restrição de acesso na consulta.
  9. Selecionar o tipo da obra.
  10. Selecionar a situação do acervo “Normal”.

Hardware/Equipamentos

Tarefa: digitalização em modo profissional.

  1. Inicie Scan Modo Profissional com a configuração de modo.
  2. Selecionar o tipo de documento que corresponda ao seu original.
  3. Selecionar a configuração de origem do documento que indica onde foi colocado.
  4. Selecionar o tipo especifico de original digitalizado: documento ou fotografia.
  5. Selecionar os detalhes do original.
  6. Selecionar a configuração de resolução que deseja usar para a digitalização.
  7. Clicar no botão visualizar.
  8. Se desejar selecionar a área de imagem na pré-visualização que deseja visualizar.
  9. Selecionar qualquer uma das áreas de ajuste de imagem que deseja usar.
  10. Clicar em digitalizar.

Dados/Armazenamento

Tarefa: Controle de Aquisição.

  1. Tipo de aquisição: compra, doação ou permuta.
  2. Fornecedor: livrarias, editoras ou doadores.
  3. Quantidade de exemplares.
  4. Valor da obra: preço unitário e total.
  5. Solicitante.
  6. Itens: O sistema criará automaticamente os itens.
  7. Criar o orçamento “filho”
  8. Fazer a fatura, que ficará em aberto até o recebimento e pagamento da obra.
  9. criar os orçamentos, verificar o saldo e as transações.
  10. Fazer a atualização da fatura.

 

Recursos Humanos/Atores

Tarefa: Organização das Obras.

  1. Criar etiquetas para cada categoria.
  2. Reservar prateleiras para cada segmento.
  3. Dividir os espaços para cada subtema.
  4. Colar as etiquetas na parte inferior da lombada dos exemplares.
  5. Criar espaços nomeados nas prateleiras para cada subtema.
  6. Posicionar os exemplares nas prateleiras  seguindo a categoria e subcategoria.
  7. Criar a política de empréstimo.
  8. Ordenar o limite de exemplares emprestados por vez.
  9. Ordenar o tempo máximo de empréstimo e o número máximo de renovações.
  10. Ordenar as penalidades para o descumprimento de cada regra.

Atendimento/Interface com o usuário.

Tarefa: Serviço de Empréstimo.

  1. Fazer a carteira de leitor .
  2. Apresentar documentos para inscrição.
  3. Dirigir-se ao balcão de empréstimo apresentado a carteira.
  4. Até 3 obras circulantes .
  5. Prazo de empréstimo por até 14 dias.
  6. Será responsável pela guarda da obra e condições do empréstimo.
  7.  Receber um comprovante informando a data de devolução.
  8. Devolver o empréstimo no balcão. A devolução será comprovada através de um recibo.
  9. Acessar o site para renovar.
  10. Vencido o prazo de devolução o usuário pagará uma multa de 0,50.

Acessibilidade.

tarefa: Utilizar Impressora em braile.

  1. Ligar a impressora (tecla “ON” do painel).
  2. Irá narrar em qual opção de vós o usuário se encontra e para navegar utilizará o “MENU”.
  3. Instalar o papel na impressora e deverá abrir o painel frontal.
  4. Encaixar o papel dos grampos.
  5. Verificar se o papel ficou alinhado.
  6. Fechar a tampa da impressora.
  7. Salvar o arquivo com extensão txt.
  8. Localizar o arquivo através do botão Add para adicioná-lo ao software.
  9. Selecionar a impressora no campo Embosser.
  10. Certificar que a impressora está no modo ativo.
  11. Pressionar o botão Eboss  o texto do arquivo será impresso em braile.

Diagrama de Atividades

 

Diagrama de atividades

 

 

 

 

Grupo 06- Ana Carolina Sanches.

Este post é referente a etapa 3- Atividade do dia 04 de maio de 2016.

O teste de usabilidade se dará  com participantes representativos que irão avaliar o grau que um produto se encontra em relação a critérios específicos de usabilidade (RUBIN, 1994).

A equipe interna envolvida (participantes) será um bibliotecário por formação, o avaliador,  o avaliador responsável pelo monitoramento e o usuário (externo). Como teste se dará em ambiente de biblioteca (pública) não existira um padrão de usuário. Haverá a utilização de uma sala e  câmeras que estarão instaladas para o registro dos eventos. O avaliador se sentará em uma cadeira ao lado dos participantes e utilizará uma prancheta com o formulário para coleta de dados  para anotar os detalhes do teste.

Uma vez que o questionário é validado por toda a equipe,  elabora-se um sistema de notação. Os critérios podem ser estabelecidos através de pesos sendo o coeficiente (1) Dispensável. este peso é atribuído a um critério que é considerado desnecessário para a biblioteca. O coeficiente (2) Importante. Este peso é atribuído a um critério que pode ser interessante para a biblioteca. O coeficiente (3) Indispensável. Este peso é atribuído a um critério imprescindível.

As funcionalidades escolhidas como Emprestar Itens Permitem a categorização do empréstimo, (por exemplo: empréstimo domiciliar, especial e empréstimo entre bibliotecas)?Permitem a definição automática de prazos e condições de empréstimo de acordo com perfil do usuário para cada tipo de documento?Permite a realização de empréstimo, renovação e reserva on-line?

As funcionalidades escolhidas como Catalogar Obra Permitem a construção de listas de autoridades? Permitem a consulta na lista de autoridades durante o cadastramento de um registro?

As funcionalidades escolhidas como Adquirir obra Permitem a inclusão de novos exemplares em um mesmo titulo? Permitem realizar o controle de datas de recebimento do material?

As funcionalidades escolhidas como Cadastrar obra no Acervo Contam um cadastro de entidades com as quais mantem intercambio de publicações? Gera etiquetas com códigos de barras?

As funcionalidades como Gerar Carteirinha de Usuário Possui um sistema de aplicação de multas? Permite a realização de um cadastro de perfis de usuário?

Através de um teste  de avaliação o mais comum, simples e direto dos testes, pode ser conduzido no início ou no meio do ciclo de desenvolvimento do produto, geralmente depois que o desenho fundamental ou organização do produto foi estabelecido. Seu propósito é expandir o que foi conseguido no teste de exploração avaliando a usabilidade em um nível baixo de operações e aspectos do produto.

Escolhidas as funcionalidades é necessário verificar o que se quer testar através de um questionário, depois define-se  a equipe envolvida e o ambiente a ser utilizado, em seguida os critérios e o tipo de teste, por fim é feito o relatório.

 

 

 

Referências:

FERREIRA, Katia Gomes. Teste de Usabilidade. Universidade Federal de Minas Gerais. Departamento de Ciência da Computação. Especialização em Informática: Ênfase : Engenharia de software. 2002. Disponível em: <Teste de Usabilidade – iMasters>. Acesso em: 08 de ma. 2016.

RUBIN, Jeffrey. Handbook of Usability Testing: How to Plan, Design and Conduct Effective Tests. New York: John Wiley & Sons, Inc., 1994. 330 p.

 

 

 

 

Grupo 06- Ana Carolina Sanches.

Este Post é Referente a Etapa 2, atividade do dia 04 de maio de 2016.

Atividade 1. Escolha um dos setores abaixo, considerando que os mesmos fazem parte de uma Unidade de Informação:

4- Setor de Aquisição.

Atividade 1. Escreva um parágrafo explicando o cenário escolhido (setor + atores + funcionalidades).

Setor de Aquisição: O (diretor ou Representante) para a compra de materiais bibliográficos,  deverá possuir o recurso financeiro para dar andamento no processo de aquisição de materiais e verificar no acervo da Biblioteca a existência ou não da obra e o número de exemplares existentes.

O (Bibliotecário) irá preencher a planilha de solicitação de materiais bibliográficos, fornecendo os dados desejados para o Editor (fornecedor) com o autor, o titulo, o ano, a edição, a quantidade de exemplares, o ISBN (de preferencia com 13 dígitos), o preço unitário e o preço total, a página da Web e a data da pesquisa. O (Diretor ou Representante) solicitará transferência do recurso financeiro da unidade que disponibilizara o recurso  para a biblioteca. O (Bibliotecário) irá fazer o processamento técnico, físico e disponibiliza-lo informado ao (Diretor ou Representante) a chegada do material.

Quando o material é doado por qualquer instituição ou por um (Doador) ele receberá dois carimbos, um para identificar a doação na ultima página do livro e outro que levará o nome da instituição ou ainda o (Doador) deverá preencher um formulário “Lista de Materiais Disponíveis para Doação” e enviar e-mail de volta  para a Instituição.

O (Usuário) irá consultar catálogos online, fazer reservas de materiais, renovar materiais, consultar pendencias e débitos, históricos de empréstimos e pesquisas, salvar pesquisas, exportar referências e enviar pesquisas por e-mail.

Fonte:<porteiras.r.unipampa.edu.br/portais/sisbi/aquisição/>.

Fluxograma-Montagem-do-Pedido-Bibliográfico1
Fluxograma para montagem de pedido Bibliográfico.

Atividade 1. Represente o cenário escolhido sob a forma de sistema e de subsistemas.

modelo: sistemas e subsistemas:

Modelo S.

Atividade 2. Modelar no VioletUML um Diagrama de Casos de Uso que represente o cenário escolhido.

PAPEL DE PAREDE EXCELL PONTE

 

Referências:

Universidade Federal do Paraná Sistemas de Bibliotecas. Disponível em: <www.portal.ufpr.br/procedimento_aquisicao_livros.pdf>. Acesso em: 01 de abr. 2016.

Sistemas de Bibliotecas. Disponível em: <wp.ufpel.edu.br/sisbi/coordenacao-3/equipe/setor-de-aquisicao/>. Acesso em: 01 abr. 2016.

Procedimentos para aquisição de livros- Universidade Federal de Santa Catarina. Disponível em: <www.portal.ufpr.br/procedimento_aquisicao_livros.pdf>. Acesso em: 01 de abr. 2016.