GRUPO 5 – ALAN DE SOUZA BIEGO

Este post se refere à atividade para o dia 01/06/2016

ETAPA 3 ATIVIDADE 3

ATIVIDADE 1: DIREITOS AUTORAIS E PROPRIEDADE INTELECTUAL NA WEB E UNIDADES DE INFORMAÇÃO.

Questão 1- Como os direitos autorais e a propriedade intelectual na web impactam no planejamento de uma unidade de informação?

– Responda a esta questão apresentando exemplos de políticas que, em sua opinião, uma U.I. deveria implementar para lidar com estas questões.

R: É preciso que a U.I. esteja atenta as Leis 9.609 e 9.610 e tome as devidas precauções em relação aos direitos morais e patrimoniais das obras que compõem o seu acervo, seja uma obra tangível ou intangível.

Questão 2- Instalação e avaliação dos softwares Biblivre e PHL.

– Navegar pelos menus e fazer uma exploração do software, procurando conhecer as funcionalidades essenciais do software.

a) Efetuar as tarefas seguintes no Biblivre e, ao final, fazer um relato único de todas elas (máximo de 5 linhas).

 

1) Cadastrar 3 usuários

Usuário 1

imagem 1

Usuário 2

imagem 2

Usuario 3

imagem 3

2- Cadastrar uma obra do tipo livro

imagem 4

3- Cadastrar um fornecedor

imagem 5

4-Efetuar uma pesquisa

imagem 6.jpg

5- Fazer um empréstimo a um dos usuários cadastrados

imagem 7

6- Gerar carteirinha em pdf para um dos usuários para um determinado período de tempo

imagem 8

7- Fazer uma requisição e uma cotação com o fornecedor

Requisição

imagem 9

Cotação

imagem 10

8- Definir o prazo máximo para a devolução de uma obra e o valor da multa a ser paga em caso de descumprimento

imagem 11

9- Emprestar um livro a um dos usuários e fazer duas reservas da mesma obra em nome dos outros dois

imagem 12

imagem 13

Relato: Gostei muito do Biblivre 4. Software de fácil manuseio, intuitivo e com muitas explicações do que se deve fazer e como fazer em relação às operações que foram realizadas.

 

b) Utilize livremente o PHL, procurando conhecer as funcionalidades essenciais do software.

Efetue as seguintes operações e relate o que achar importante, que mereça ser destacado (máximo de 5 linhas)

1- Cadastro (obra, leitor e fornecedor)

Obra:

imagem 14

imagem 15

Leitor:

imagem 16

Fornecedor:

imagem 17

2- Reserva, empréstimo, renovação e devolução

Empréstimo e devolução

imagem 18

imagem 19

3- Exportação e importação

Exportação

imagem 20

Importação:

imagem 21

Relato: As operações realizadas no software PHL foram de fácil execução, não havendo obstáculos que pudessem trazer dificuldades. Achei o software intuitivo e com um layout agradável além de possuir cores suaves e de bom agrado.

Questão 3 – Diagrama de atividades

Escolha uma das funcionalidades essenciais do Biblivre ou do software PHL e mostre o fluxo interno de suas tarefas, através de um diagrama de atividades. Este diagrama deverá conter:

– No mínimo 12 tarefas/atividades

– No mínimo 1 ponto de controle

– No mínimo 1 barra de sincronização

– No mínimo 3 estados finais

Funcionalidade essencial escolhida: entrada, do software PHL.

imagem 22

Diagrama atividade etapa 3

 

Grupo 2 – Emmanuel

Etapa 3 – Atividade 3 – de  25/05/2016

Biblioteca-887x522

Atividade 1

Exemplos de políticas que a U.I. deveria implementar:

  1. Desenvolvimento de coleções – principalmente para definição do repositório de acesso livre institucional – criação de variadas comunidades de acordo com disciplinas ministradas e outras subcomunidades delas derivadas – controle dos temas, objetos e qualidade dos conteúdos, (hoje em dia têm conteúdos multi e interdisciplinares, como é feito em muitas bibliotecas universitárias, com as devidas normas explicitadas);

    questes-chave-para-o-desenvolvimento-de-colees-de-recursos-eletrnicos-um-guia-para-bibliotecas-5-638

  2. Licenciamento e direitos autorais, tanto para aquisição de conteúdos (autores terem direitos adquiridos na distribuição e preservação dos conteúdos armazenados – todo conteúdo ou só os metadados?), quanto na distribuição para o usuário – acesso aberto com preservação dos direitos autorais – O que pode ser digitalizado? O que é ou não de domínio público? Quem pode? Como pode?  Que materiais?  Tem direito à downloads? Por quanto tempo é autorizado? Autorização da editora, caso o autor ter transferido o direito de copyright? – tudo se levando em conta a questão de justiça social – livre acesso à informação;

    images

  3. Organismos de segurança, ex. identificação e autenticação do usuário (caso hipotético de Biblioteca Universitária – usar a matrícula como é feito na BU/UFSC);

    images (1)

  4. Depósito e acesso de TCC, Dissertações, Teses e outros materiais do processo de ensino e aprendizagem – criando um processo de licenciamento dos conteúdos produzidos na universidade – de acordo com as normas e leis vigentes;

    download

  5. Empregar software livre na biblioteca;

    imagesdownload

  6. Tipos e formatos de arquivos (ex. doc, docx, pdf, pdfA, jpeg, png, html, xml etc.…), admitidos pelo sistema informacional, levando-se em conta a preservação de materiais digitais – migração daqueles formatos que não se utilizam mais para um novo formato para não se perder a informação;

    formatos-archivo

  7. Privacidade para todos os dados dos usuários do sistema da biblioteca;

    nove-de-dez-sites-liberam-dados-de-usuarios-para-terceiros--665411802

  8. Divulgação, compartilhamento e disseminação dos aspectos legais da propriedade intelectual na WEB e dos direitos autorais dentro do site, portal, redes sociais, etc…

    images (2)

  9. Capacitação de bibliotecários e demais envolvidos na criação e disseminação de conteúdos digitais;

    lerincluirtransformar_2

  10. Planejamento deve estar intrinsicamente alinhado às tecnologias da informação, aos sistemas de informação, a infraestrutura e principalmente com as pessoas.

    site_blog

Atividade 2

BIBLIVRE

O software é intuitivo, de fácil manejo, funcional, têm interface com usuário respeitando as hierarquias e convenções. Testei várias tarefas não encontrando problemas de execução. Existem explicações que facilitam a funcionalidade. Excelente navegabilidade.

bibilivre

PHL

Não é atrativo, porém é funcional. Tudo certo  na importação de arquivos da Library of Congress pelo Marc, bem como no cadastro de usuários e reserva de alguns itens registrados. O usuário deve ter um conhecimento prévio, pois não existem muitas explicações. Fazer melhorias no  layout.

122-triagem-clientes-phl

Atividade 3

Diagrama de Atividades no Biblilivre

 

 

Diagrama Atividades Bibilivre

Elaborado pelo autor

Referências:

Fonte de todas as imagens GOOGLE https://www.google.com.br/imagens

BIBLIVRE IV. Versão 4.1.11. [S.l.], 2014. Disponível em: <http://localhost/Biblivre4/l>. Acesso em: 28.maio 2016.

PHL. Versão 8.3. [S.l.], 2016. Disponível em: <http://127.0.0.1:2185/cgi-bin/wxis.exe?IsisScript=phl83.xis&cipar=phl83.cip&lang=por>. Acesso em: 28.maio 2016.

Sistema de Bibliotecas e Informação da UFRJ.  Disponível em http://www.sibi.ufrj.br/sobre-o-sibi.htm. Acesso em: 28.maio.2016.

 

Grupo 6 – Ana Paula

Este post refere-se a atividade 3 da etapa 3 do dia 25/05/2016

 

Direitos autorais e propriedade intelectual na Web e Unidades de Informação

captura-de-tela-2013-01-20-c3a0s-21-24-23

Fonte: http://www.opera10.com.br/2015/04/redacao-proposta-2015-19-acesso.html

Baseando-se em um pressuposto equivocado a respeito da natureza humana, acreditamos que a informação estará sempre disponível para todos na Internet, em qualquer lugar, a qualquer momento. Mas, esquecemos de que nada é inteiramente livre, tanto na internet, quanto fora dela também, há a questão dos direitos autorais que devem ser respeitados. Precisa-se resolver o que pode ser digitalizado, ou copiado, sendo materiais de domínio público ou não, e quem pode ter acesso a estes.

O problema de conciliar interesses conflitantes de propriedade intelectual com o acesso livre e igual, restringe a consulta de materiais produzidos. A biblioteca, seria então a única que poderia disponibilizar livremente os materiais com direitos reservados, onde os leitores podem consultar livremente, e sem custo algum estes documentos. Mas, não há como ter um controle sobre o que o usuário fará com a obra depois que leva da biblioteca, esta pode não disponibilizar máquinas de reprografia, ou digitalização, para dificultar o descumprimento da lei, entretanto depois que o material sai da biblioteca torna-se responsabilidade do usuário.

Portanto, a Unidade de Informação deve apresentar políticas de conscientização para os usuários aterem-se à este assunto, pois na maioria das vezes em que acontece o desrespeito à lei dos direitos autorais, ou o usuário não tinha conhecimento de que o que está praticando pode ser crime, ou sabe que é errado mas mesmo assim o faz, acreditando que ninguém ficará ciente, e que estará protegido pois se todo mundo faz isso porque ele não pode. Faz-se necessário a educação do usuário, quanto à esse aspecto, espalhar cartazes na U.I. explicando o que são os direitos autorais e porque devem ser respeitados seria uma saída, também pode-se promover palestras e debates sobre o assunto.

Instalação e avaliação dos softwares:

 

logo_biblivre x phl

 

Relatório de tarefas do BIBLIVRE:

Possui boa interface e navegabilidade, os termos são autoexplicativos, há resposta imediata das ações, as informações são encontradas de forma fácil, possui exemplos e em cada página as ações são explicadas passo a passo, as abas são bem distribuídas e organizadas, um diferencial é a opção de importação direto das bibliotecas.

 

Relatório de tarefas do PHL:

A interface é bem simples, há dificuldade em encontrar o ícone que precisamos, não possui termos autoexplicativos, apesar da interface simples é possível fazer a importação de dados de forma satisfatória, porém as ações precisam ser testadas para saber quais suas atribuições.

Diagrama de atividades

Cadastrar obra – BIBLIVRE

 

trabalho 3

 Melhor visualização

 

Referências

MARTINS, Estéfani. Opera10 revolucione-se. Acesso em: <http://www.opera10.com.br/2015/04/redacao-proposta-2015-19-acesso.html>. Acesso em: 29 maio. 2016.

NACIONAL, Sociedade dos Amigos da Biblioteca. Biblivre. 2016. Disponível em: <http://biblivre.hemominas.mg.gov.br/Biblivre4/>. Acesso em: 29 maio. 2016.

OLIVEIRA, Elysio Mira Soares de. PHL: Personal Home Library. 2016. Disponível em: <http://www.elysio.com.br>. Acesso em: 29 maio. 2016.

TARAPANOFF, K.; ARAÚJO Jr., R. H. de; CORMIER, P. M. J. Sociedade da informação e inteligência em unidades de informação. Revista Ciência da Informação, v. 29, n. 3, p. 93, set./dez. 2000. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/ci/v29n3/a09v29n3.pdf>. Acesso em: 29 maio. 2016.

Grupo 3 – Lucas

Etapa 3 – Atividade 3  |  25/05/2016 | Lucas Inácio de Souza


Direitos autorais e propriedade intelectual na WEB e Unidades de Informação

Ao se planejar uma U.I. é necessário levar em conta que existem leis que protegem a propriedade intelectual e também os Direitos Autorais de obras na Web. Os principais impactos disso no planejamento de uma U.I. referem-se à disseminação e garantia do acesso à informação, a determinação de políticas que resguardem o usuário, a biblioteca e o autor da obra disponível na Web. A biblioteca fica em um dilema: até que ponto a biblioteca libera o usuário para acessar, baixar, visualizar documentos e obras na Web na biblioteca sem ferir os Direitos Autorais e propriedade intelectual? É prioridade o acesso à informação, ou deve haver alguma restrição?

Políticas podem e devem ser criadas e adotadas para evitar violações graves nos direitos autorais, e devem ser expostas para que o usuário leia e tenha acesso. Isso pode ser feito logo na página inicial da biblioteca. Já que a prática de violar esses direitos infelizmente são comuns, orientar o usuário pode ser o primeiro passo para evitar novas infrações.

Um exemplo de acesso à conteúdo na Web é o que ocorre na Biblioteca do Tribunal de Justiça. Ao comprar livros da Editora Revista dos Tribunais (RT), os mesmos possuem nas primeiras páginas um código para acessar o mesmo conteúdo do livro impresso, em versão digital (E-book) conhecido como Proview.

O Proview é uma plataforma multifuncional que permite o acesso a todos os títulos adquiridos pela Biblioteca em formato eletrônico, que podem ser visualizados em dispositivos como tablet, computador portátil, desktop ou navegador de internet. (Site Revista dos Tribunais, 2016)

A biblioteca cadastra esse código, e disponibiliza para os usuários um login e senha para acessar a plataforma. É um serviço que não é amplamente divulgado e ainda engatinha e pode, de uma hora pra outra, ser interrompido se diagnosticado que houve qualquer tipo de violação por parte dos usuários.

Figura 1 – Site da Editora Revista dos Tribunais.Screenshot 2016-05-28 at 20.53.20Fonte: http://www.rt.com.br/proview/index.php



Instalação e avaliação dos Softwares Biblivre e PHL

Screenshot 2016-05-28 at 21.16.03

Avaliação pessoal: Screenshot 2016-05-29 at 16.33.55

Design e Layout moderno e funcional. Interface com o usuário muito agradável, com hierarquias bem definidas e convenções. A Navegabilidade pelo Software é simples e agradável. Todas as tarefas foram concluídas sem problemas. O cadastro (Usuário, obra e fornecedor) é muito prático. Outras tarefas e funcionalidades básicas e desejáveis correspondem muito bem às expectativas e necessidades de uma biblioteca.

Screenshot 2016-05-28 at 21.42.21

Avaliação pessoal: Screenshot 2016-05-29 at 17.30.38

Layout pouco atrativo, simples porém funcional. Problemas na importação de dados em formato MARC da Biblioteca Nacional. A Navegabilidade pelo Software é confusa. O Cadastro (Entrada) de Obra, Leitor e Fornecedor se dão selecionando a Base de Dados correspondente (Catálogo, Kardex, Usuários, Fornecedores, etc). Funcionalidades básicas atendidas, porém é necessário um pouco de desenvoltura do usuário para utilizar o Software.

 


Diagrama de Atividades

Atividade: Empréstimo de Livro no Sistema Biblivre

DIAGRAMA ATIVIDADES pngFonte: do autor.


Referências

Site Revista dos Tribunais. Thomsom Reuters Proview. 2016. Disponível em: <http://www.rt.com.br/proview/index.php?act=perguntas&gt;. Acesso em: 28 mai. 2016.

Genilson Geraldo – Grupo 6

Postagem referente a Etapa 3 – Atividade 3 – 25/05/2016

wordle-104-3

Fonte: oautornaweb.wordpress.com

Atividade 1:

  • Ao comprar livros digitais para incorporar o acervo da UI, a instituição passa ter direito de difundir o conteúdo destas obras sob forma de consulta online, e quando previamente autorizados os downloads de documentos. Porém, não podem explorar estas comercialmente e muito menos distribuir cópias sem autorização. Entretanto, em relação as atitudes e inflações de seus usuários na execução de cópias ilegais, foge do controle e da responsabilidade da instituição, podendo ter apenas em seu planejamento, ações educativas a seus usuários.

fotocopia2

Fontes: blogdopetcivil.com – portaldedicas.com.br

  • A UI deve inserir em suas políticas de atendimento, ações educativas na página da entidade, tratando sobre os direitos autorais. É importante que a biblioteca insira em seu processo de disseminação de conhecimento, textos que façam seus usuários a refletir sobre as cópias ilegais, orientando-os como utilizar de forma legal os documentos com propriedade intelectual. Entretanto, é indispensável que a biblioteca disponha no ato de inscrição para ter acesso ao conteúdo digital, um “Termo de compromisso”, que aponte as responsabilidades dos usuários.

 

Atividade 2:

images10

Fonte: esbiblivre.forumeiros.com

  • Relato – BIBLIVRE:

Com uma interface de fácil entendimento, funções simples e intuitivas, não foi encontrado dificuldades para utilizar os recursos do software. Pois, são oferecidos detalhes de como usar cada recursos e funcionalidades. Sugestão de melhorias, seria: oferecer mais opções de tamanho das etiquetas para impressão das carteirinhas; E, a opção de “Reservas” das obras, poderia estar junto na opção “Empréstimos e Devolução”, facilitando o trabalho.

428294_4a2a75b9dc1d46fd79b614cb8bee2315

Fonte: unicagestao.com

  • Relato – PHL:

Com uma Interface não muito atrativa, o software PHL, exigi um pouco mais de atenção do usuário ao utiliza-lo. Após testar algumas funcionalidades, ficou fácil manuseia-lo. Gostei que, automaticamente ele já apresenta os comprovantes, de renovação, empréstimos, reservas e etc. A importação de dados catalográficos é fácil e prático. Poderia melhorar sua interface, como cores e fontes.

Atividade 3:

  •  BIBLIVRE: Cadastrar uma obra do tipo livro

livros-1

Fonte: bevilaqua.org.br

  1. Abrir Biblivre IV
  2. Fazer login e digitar senha
  3. Clicar no item “Catalogação”
  4. Escolher opção “Bibliográfica”
  5. Pesquisar obra no item “pesquisa simplificada”

[ Caso possua registro ]:

5.1. Clicar na opção “Abrir registro”

5.2. Clicar na opção novo registro

5.3. Fornecer número de exemplares no item “Exemplares”

5.4. Clicar em “Salvar”

[ Caso não possua registro ]:

  1. Clicar opção “Novo registro”
  2. Verificar catalogação da obra no catálogo da Biblioteca Nacional

7.1. Copiar discrições da obra no formato Marc 21

7.2. Colar no item “MARC” no registro da obra do Biblivre

[ Caso não possua dados catalográficos no catálogo da BN ]:

  1. Abrir item “Formulário”

8.1. Digitar dados técnicos da obra

8.2. Digitar dados em formato MARC 21

[ Finalizando cadastro ]:

  1. Conferir dados da obra no item “Formulário”
  2. Clicar em “Salvar” no registro no item formulário
  3. Conferir dados no item “Resumo Catalográfico”
  4. Fornecer número de exemplares no item “Exemplares”
  5. Clicar em “Salvar” no item Exemplares
  6. clicar no item “Retornar à pesquisa”.

 

Diagrama de Atividades:

Atividade 3 - Etapa 3 - Diagrama de Atividades

Melhor Visualização do Diagrama de Atividades

 

REFERÊNCIAS:

OLIVEIRA, Elysio Mira Soares de. PHL: Personal Home Library. 2016. Disponível em: <http://www.elysio.com.br/&gt;. Acesso em: 27 maio 2016.

OLIVEIRA, C. C.; BOTELHO, R. G. E. Direitos autorais versus pirataria editorial na universidade: algumas reflexões. DataGramaZero, v. 8, n. 2, p. 0-0, 2007. Disponível em: <http://basessibi.c3sl.ufpr.br/brapci/v/4382&gt;. Acesso em: 27 mai. 2016.

NACIONAL, Sociedade dos Amigos da Biblioteca. Biblivre. 2016. Disponível em: <http://biblivre.org.br/&gt;. Acesso em: 27 maio 2016.