Grupo 2 – Emmanuel

Este post é referente a atividade para dia 30 de março

mediatecaccesp

Unidade de Informação são os locais físicos ou virtuais, que tratam da criação, aquisição, organização, armazenamento, tratamento (preparo técnico do acervo, com cuidados na representação e descrição, facilitando sua utilização, tais como: indexação, catalogação e classificação), processamento, preservação e disseminação da informação, tais como: bibliotecas – públicas, privadas, escolares, universitárias, centros de informação, editoras, museus, serviços de documentação, salas de leitura, etc.

Fazem parte de um sistema de informação, um conjunto de elementos que trabalham inter-relacionados, tais como: hardwares, softwares, técnicas de administração de dados e tantas outras formas de tecnologias voltadas à informação, rede de comunicação interna ou externa, que trabalhando unidos, visando um objetivo comum, recebem matérias-primas e promovem um resultado, elaborado em um processo de transformação organizado, que pode ser traduzido basicamente em três componentes: entrada, processamento e saída.

Devido ao grande número de softwares (tais como: Pergamum, Sophia, Bibilivre, etc..) e hardwares disponíveis no mercado, dotando a unidade de informação de toda infraestrutura para seu funcionamento, é necessário um planejamento estratégico para tomadas de decisão eficazes no sistema de informação, com o intuito de melhorar a qualidade e agregar valor nos produtos e serviços oferecidos, buscando o uso constante da criatividade e inovação, uma vez que a finalidade fim é aumentar e agilizar a precisão e eficiência na recuperação da informação – com definição de modos de pesquisa, usando lógicas diferenciadas, como a boleana, que poderá ser utilizada nos mais diferenciados suportes (respeitando inclusive esta diferença nos suportes eletrônicos em que os conteúdos devem ser armazenados de forma responsiva, para poderem ser recuperados em qualquer tipo de hardware), devendo haver interação entre todos os atores, para favorecer e suavizar a intermediação entre o sistema e os usuários.

Em nenhum momento deveremos esquecer dos talentos humanos – pois é no indivíduo que estão as competências intelectuais e informacionais, de relacionamento e técnicas, suas habilidades e atitudes é que serão um grande diferencial competitivo nas unidades de informação, através do atendimento das necessidades e desejos dos usuários.

 

 

Referências

 

CEDON, Beatriz Valadares. Ferramentas de busca na Web. Ciência da Informação, Brasília, v.30, n.1, p.39-49, jan./abr., 2001.

CUNHA, Murilo Bastos da. Construindo o futuro: a biblioteca universitária brasileira em 2010. Ciência da Informação, Brasília, v.29, n.1, p.71-89, jan./abr., 2000.

LE COADIC, Yvez-François. La science de l’information2. ed. Paris: Universitaires de France, 1997.

MIRANDA, S. V. Identificando competências informacionais. Ciência da Informação, Brasília, v. 33, n. 2, p.112-122, maio/ago. 2004. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.phpid=S010019652004000200012&script=sci_abstract&tlng=pt&gt;. Acesso em: 26 mar. 2016.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s